quarta-feira, 26 de julho de 2017

Projeto Vista Margarida traz coleção de roupas inspiradas na história de Margarida Maria Alves


Nesta quinta-feira (27/07), será lançado em Campina Grande o Projeto Vista Margarida, um espetáculo intermídia de teatro contemporâneo, que traz uma coleção de roupas baseada na história da sindicalista Margarida Maria Alves. O evento acontece no Teatro Municipal Severino Cabral, a partidas das 19h, e conta com a participação da cantora Sandra Belê, da ciranda do quilombo Caiana dos Crioulos e dos bailarinos do projeto Homens na Dança.

A líder sindical paraibana foi assassinada na porta de casa, em 1983, por um matador de aluguel. Três meses antes de morrer na frente do marido e do filho, em um discurso de comemoração pelo 1° de maio (Dia do Trabalhador), ela disse que “é melhor morrer na luta do que morrer de fome”.

Hoje, 32 anos depois de sua morte, as palavras de Margarida ainda ecoam entre as mulheres trabalhadoras rurais e dão força para a luta diária por representatividade e melhores condições de trabalho e de vida no campo.

Outra frase famosa do mesmo discurso, “da luta eu não fujo”, está gravada em umas das paredes da antiga casa de Margarida Alves, que se transformou em museu em 2001. Na construção simples, uma geladeira azul que foi da camponesa ainda está guardada.

Nos quatro cômodos da casinha de fachada amarela também estão à vista documentos da época em que Margarida liderava o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande, atas de reuniões, instrumentos usados pelos trabalhadores no corte da cana-de-açúcar para as usinas, fotos e objetos pessoais: uma camisa branca com bordado de flores, os óculos, o chapéu usado por ela quando visitava os trabalhadores na roça e uma bolsa.


Por: Gomes Silva
Fotos: Ascom

Fonte:
Ascom
http://www.revistaforum.com.br