sexta-feira, 3 de julho de 2009

Caso da vida real: Um convite feito pela Igreja de Humildenópolis ao pastor Celebrestino da Hora

- Alô! Gostaria de falar com o pastor Celebrestino da Hora.
- Ele não se encontra no momento. Sobre o que seria?
- É sobre a possibilidade dele atender um convite para uma programação aqui na igreja.
- Aqui quem fala é a secretária dele, pode falar que eu verifico na agenda se há disponibilidade para atender ao convite.
- Ok! seria para o final do mês de agosto, precisamente no dias 28, 29 e 30. Trata-se de um Congresso de Mocidade que realizaremos em nossa igreja aqui em Humildenápoles.
- Deixe-me ver... Huuummm... tá muito em cima, mas... tudo bem, a data está disponível.
- Que benção! Gostaria de saber qual as condições para que ele atenda o nosso convite.
- Bom, o pastor Celebrestino da Hora exige vôos sem escalas e sem conexões, hospedagem em hotel 5 estrelas com rede wireless e com o frigobar e o telefone livres, refeições só em restaurantes de nível, translado aeroporto/hotel/evento/hotel/aeroporto em veículo espaçoso e confortável, e o cachê de R$ 7.000,00.
- Noooooooossa! Nós faremos o possível para dar o melhor conforto ao pastor Celebrestino da Hora, mas não temos como cumprir todas essas exigências, nem pagar um cachê neste valor. Nos esforçaremos também para dar uma boa oferta, mas não sabemos ainda, na realidade, de quanto será.
- Querido, convidar pregador famoso não é pra quem quer, é pra quem pode! Sinto muito, menos do que isso, e sem estas condições não dá. E tem mais, vocês estão com sorte que a agenda dele está livre.
- Não dá nem pra falar com ele, quem sabe ele não abre uma exceção?
- Não filho, não dá. Não adianta perder tempo com isso.
- Que pena!
- Pois é... faz o seguinte, convida outro que esteja dentro das possibilidades de sua igreja. A desvantagem é que o seu evento não terá o brilho e a notoriedade que teria com a ida do pastor Celebrestino da Hora.
- Tudo bem. A paz do Senhor.
- Tchau!.


Fonte: Blog do Pr. Altair Germano