sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Família: Como Construir um Relacionamento Duradouro?

PALESTRA PARA NOIVOS OU RECÉM-CASADOS

Pr. Gomes Silva


Para que uma família seja abençoada por Deus e seja “até que a morte nos separe”, os noivos (ou recém-casados) precisam entender que o casamento é como uma construção de uma casa. Precisa de um bom alicerce para não desmoronar nos vendavais da vida.

Esses jovens precisam entender o que devem fazer para tornar o relacionamento duradouro. Para isto é necessário:

Nova identidade
O rapaz passa a ser chamado de senhor (cidadão) e ela de senhora.

Amor
Independente das futuras descobertas entre eles e das circunstâncias do dia-a-dia;

Comunicação
Sem diálogo fica difícil um bom relacionamento;

Consciência de seu papel
O que cada um dos cônjuges tem a fazer; que casamento é “até que a morte vos separe”; e que casamento não é para experiência;

Completude
Um ao outro. Não há entre o casal um superior. Só o que dirige esse relacionamento: Deus;

Renúncia
De amigos, baladas, cama (dormir), TV, passeios constantes; cordão umbilical com a família; direito de autonomia do seu corpo;

Romantismo
Não “matar” o romantismo que os levou a formarem a família;

Confiança
Um relacionamento conjugal jamais será sadio se não confiarem um ao outro;

Respeito
A partir do altar, ou até mesmo antes dele, o casal precisa compreender que agora a história é outra.

Estes são alguns dos alicerces para construir um relacionamento duradouro. Claro que os detalhes de cada tópico são explanados durante a palestra.

___________________
Para levar essa palestra para sua igreja e abençoar os jovens que estão para casarem ou são recém-casados, entre em contato conosco: (83) 8650 7572 - 9305 4864

Estamos vivendo um novo ano...

Pr. Gomes Silva

Depois de vários dias de preparação, o mundo “parou” para receber 2010. O povo foi às praias, às praças, às ruas prestigiar o brilho em várias cores em comemoração da chegada do novo ano. De todas as partes do mundo, pela televisão, pela net ou pelo rádio, chegavam as noticias dando conta de que o révellion tinha sido um marco.

Nas praias, a alegria tomou contou das multidões; nos bares, restaurantes e similares a pinga desceu fácil, deixando as mentes vagando na incerteza de um novo tempo; Famílias se reuniram e gastaram bem o tempo com comes-e-bebes. Tudo isto e muito mais na esperança de dias melhores no último ano desta década.

Todavia, pude ver que tudo isto não passa de uma maneira cavilosa de levar a humanidade para mais distante do Senhor. E isso é fácil de explicar. Em quem estava a esperança do povo quando o relógio zerou e iniciou a contagem para 365 dias? O Novo Ano. Em todos os cumprimentos, a frase sempre foi a mesma: Feliz 2010 e que traga muita paz, alegria, felicidade, saúde... E cadê o construtor do universo? Em raríssimas exceções, envolvendo pessoas evangélicas se ouve: Que Deus te abençoe. Eu estou dizendo, "poucas pessoas".

O povo, embriagado pelos mais diversos desejos, depositou no ano novo suas esperanças para conquistar seus objetivos, esquecendo, assim, que a paz, a alegria, a felicidade, a saúde... tudo provém de Deus.

Entra ano e sai ano e a situação continua periclitante para muita gente. Falta de emprego, falta de saúde; falta de uma boa educação, falta de estrutura.

Mudou apenas a contagem dos tempos, a valorização do feriado e aumentaram os desejos e a crendice dos céticos no assunto. O cenário é o mesmo. a vida, o solo, a beleza da natureza.

Nossa esperança é Cristo. Disso não tenho dúvida