quarta-feira, 10 de março de 2010

O BBB e a inversão dos valores éticos e morais

Vladimir Chaves
vladimirchaves@hotmail.com

O lixo produzido pela TV Globo e transmitido diariamente em horário nobre, é merecedor do repudio de todos os que primam pela ética e a decência moral. É incompreensível a cegueira das nossas autoridades diante de tamanha afronta aos nossos valores morais, a nossa cultura, aos lares e principalmente as nossas crianças e adolescentes.

Um empresa que funciona via concessão pública num total desrespeito a sociedade brasileira, (graças à omissão dos poderes constituídos), produz e transmite um lixo de programa que tenta a todo custo, inverter os valores morais de nossa sociedade. Um excremento de programa que super valoriza a intriga, o ódio, a inveja, a ambição, as drogas, a prostituição e a promiscuidade sexual.

Espero que a crescente indignação dos cidadãos e cidadãs brasileira possa despertar o judiciário, o legislativo e as instituições sérias como a OAB, CNBB, UNE, dentre outras. É preciso dar um basta às transmissões do “bordel mais vigiado do mundo”, um antro onde um monte de sem neurônios são divididos por grupos, com alcunhas pejorativas de “sarados”, “cabeças”, “ligados”, “belos” “coloridos” e por ai vai, uma latrina que acumula uma Big Banalidade com odor de Besteirol.

O BBB dos sem neurônios, na verdade é um show de futilidades comandado por um individuo de mente atrofiada que adora chamar de herói os “boys e as girls” que nada produzem e nada fazem, desvirtuando até mesmo o sentido da palavra herói.

Desfrutando de uma concessão pública a TV Globo deveria estar comprometida com os propósitos educativos e culturais do país, no entanto faz o inverso, e é diante disso que acredito que é preciso potencializar a nossa capacidade de indignação, pois, pior do que as catástrofes causadas pelas guerras e os fenômenos naturais, à degeneração dos nossos valores morais, cristãos, éticos e sociais poderão nos levar a um caminho sem volta, a um precipício desconhecido, mas presumível.

Não podemos nos dar por vencido, não devemos permitir que os imundos enterrem os nossos valores morais, cristãos, culturais e sociais.