sexta-feira, 3 de abril de 2009

Jônatas Catão completa 60 anos de ministério pastoral na Paraíba

A Primeira Igreja Evangélica Congregacional de João Pessoa, na Paraíba, reuniu-se na Capela do Instituto Bíblico Betel Brasileiro, para comemorar os 60 anos de ordenação pastoral do reverendo Jônatas Ferreira Catão. O Culto de Ação de Graças aconteceu na noite do dia 28 de março do corrente ano.

Além do público que tomou as dependência da Capela, o culto contou com a presença de pastores de igrejas de várias denominações e dirigentes de entidades com atuação no Nordeste, entre eles pastor Estevam Fernandes, da 1ª Igreja Batista de João Pessoa, pastor José Alves da Igreja Presbiteriana, Pastor Nelson Monteiro, da Igreja Missão Evangélica Pentecostal, Pastor Ricardo Melo, da Igreja MIRR (Missão Resgate e Restauradora), Pastor Sérgio Ribeiro, da Congregacional do Bessa e representando a Juvep, Pastor Jadiel Davi da Rocha, da Igreja Congregacional El-Shaddai de Campina Grande, e fundador e coordenador do Projeto Jonas no Brasil e na Europa; o pastor-jornalista Gomes Silva, do ministério Batista Independente e coordenador de comunicação da VINACC – Visão Nacional Para a Consciência Cristã, e diretor de Comunicação da Ordem do Ministros Evangélicos do Brasil e do Exterior – OMEBE/Conselho da Paraíba; e o presbítero Osmar Carneiro, que representava os Gideões Internacionais na Paraíba, além de irmão, obreiros e políticos como Dona Dida, prefeito de Itabaiana-PB e membro da Igreja Assembléia de Deus.

Antes da palavra houve mensagens de várias pessoas, quando foram anotadas frases que simbolizam a vida do homenageado:
Pr. José Alves – A festa não é do senhor, pastor, nem de sua família. É do povo de Deus que o conhece como um homem íntegro.

Missionária Glícia – Betel Brasileiro. Ela leu Gênesis 6:8-9, história de Noé, para enfatizar a retidão, a integridade do homem Jônatas Catão. Disse ela estar feliz por estar comemorando os 60 anos do pastor Jônatas Catão.

Pr. Estevam – Ele marcou a vida de muita gente e vai continuar marcando. E tenho certeza que Deus o inspirou a não desistir. Deus o abençoe pelo homem que o senhor o é.

Pr. Jadiel (representando as igrejas de CG) – O pastor Jônatas é um símbolo de autoridade ministerial; um exemplo a ser seguido pelas gerações de pastores.

Pr. Sérgio Ribeiro – Ele sempre foi um homem de oração e zeloso da obra. E não tem ex-ovelhas, pois todas que já foram pastoreadas por ele o considera como sendo seu pastor, mesmo estando em outras igrejas e até pastoreando-as. Um homem que sempre soube dizer “não”, pois entendia que desfazer um “não” era mais fácil do que desfazer um “sim”.

Osmar Carneiro – O homem Jônatas Catão é um exemplo para todos nós. Jamais vou esquecer suas lições de vida.

Pr. Nelson Monteiro – Vou destacar duas virtudes do pastor Catão: 1) vida de integridade, 2) homem de oração.

Pr. Ricardo Melo – Ele lembrou os dez anos que morou com o pastor Catão. E toda manhã, sem falhar, era acordado com a voz suave do pastor Catão no culto matutino, do qual era fiel, já que a residência ficava ao lado da casa. Ele é um exemplo de amor e de dedicação.

A nora do homenageado, a missionária Kátia Catão, numa homenagem especial, leu o histórico de Catão. Ele nasceu no sítio Logradouro, município de Campina Grande-PB. É filho de Sebastião e Maria Catão. Recebeu o chamado de Deus para ingressar no Seminário Congregacional, em Recife, onde entrou no dia 1º de março de 1943. Já no dia 19 de fevereiro de 1949, foi diplomado como teólogo e no dia 2 de abril do mesmo ano fora consagrado ao santo ministério, assumindo a Igreja Congregacional de Patos-PB, onde casou com Olívia Lopes Oliveira (In Memorian), com quem teve cinco filhos: Judite, Jônatas, Jaiel, Jete e Jerusa. Depois pastoreou igrejas congregacionais em Alagoa Nova, Guarabira e João Pessoa. Na capital paraibana, Jônatas Catão pastoreou a Primeira Igreja Evangélica Congregacional durante 52 anos.

Humilde, o pastor Catão agradeceu a todos e deixou uma palavra de agradecimento aos que se envolveram nessa homenagem. E lembrou que tudo que aconteceu na sua vida é o que Deus lhe confiou.

Cartão disse que “proceder com fidelidade não é fácil”. Ele usou três frases para sintetizar o sucesso do seu ministério: “Valemos enquanto não perdemos a confiança”, “O que fazemos agora é pra a glória” e se “você cuida com fidelidade, o rebanho cuidará de você”.

Por último, o reverendo Alexandre Ximense, de Recife-PE, ministrou a palavra de Deus. O Culto de Ação de Graças teve também inúmeras atrações, como os corais: Partes Culminantes do Messias, Minha Gratidão, Com Gratidão Cantemos, conjunto da Igreja Congregacional do Bessa, além da missionária Kátia Catão e Maria da Penha, todos de João Pessoa-PB.

Reportagem:
Pastor Gomes Silva