segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Desculpe-me, mas eu sou um pastor “quadrado”

Pr. Gomes Silva

Após um final de semana na cidade de Alagoa Grande, voltei para Campina Grande, onde moro com a minha família. No ônibus, um senhor sentado na cadeira a minha frente começava o dia cantando “Como Zaqueu...” e um belo hino de Lázaro. Ao meu lado, uma mulher que parecia não ter dormido muito bem na noite anterior, pois a cara dava para espantar mosquitos. E eu, pensando na vida.

Na viagem, que durou mais de uma hora e meia, quando deveríamos chegar meia-hora antes, voltei ao passado. Ao tempo em que Deus me chamou para o ministério pastoral, passando pelas igrejas para as quais fui chamado (ou convocado) para assumir o seu pastoreio. À mente, vieram os bons e os maus momentos, algo normal na vida de um “pianista” cristão, ou “Bombril”, como fui assim denominado quando estive no Pedregal-CG, e em Parnaíba-PI.

E de tanto analisar os prós e os contra, principalmente o estado em que se encontram algumas igrejas e parte dos que se dizem seguidores de Jesus Cristo, conclui que sou um pastor “quadrado”. E por que sou um pastor “quadrado”, portanto, reprovado por muitos? Explico:

Não concordo com a prática do evangelho de brincadeira. Evangelho que agrada a todo mundo sem mudança radical de vida e de comportamento;

Não concordo com toda modernização, que estão implantando nas igrejas. Não se dá responsabilidade aos “crentes” nem reprova suas práticas iníquas, reprováveis pelo Evangelho;

Não concordo com o liberalismo que está invadindo as igrejas e ninguém pode dizer nada;

Não concordo com todo tipo de roupas dentro de algumas igrejas, tipo “tomara que cai”, e caindo ante os olhos de milhares de estarrecidos, mas que nada podem dizer: “é discriminação”;

Não concordo com o pastor recebendo um alto salário enquanto que o porteiro da igreja ou outro obreiro esforçado está com a água cortada e dormindo à luz de vela em cima de um colchão velho que as baratas já rejeitaram há tempo;

Não concordo com igrejas que presenteiam seus líderes liberais (por que se não for assim não ganha nem uma caixa de fósforos), com carros caríssimos, com todas as honras enquanto que o homem que abre e fecha a igreja, que mora num casebre alugado, que se arrisca para chegar em casa alta hora da noite. Ora de ônibus, ora numa bicicleta caindo os pedaços;

• Não concordo com a discriminação de irmãos. Quando o irmão tem condição financeira, tem visita direto, jantar, almoço com a alta cúpula da igreja; é valorizado. Humm! E o irmãozinho, que ganha pouco, ou que esteja desempregado, vivendo pela misericórdia de Deus? Ah, esse nem é visto na igreja. Ele entra, sai, passa até alguns dias sem ir à igreja e nunca ninguém sente a sua falta. Não tem nada a oferecer, mesmo! Não concordo, não concordo. Sou mesmo um quadrado!

Não concordo com natal. Igrejas evangélicas comemorando o nascimento de Cristo no dia 25 de dezembro, seguindo as orientações do mundo? Isso é uma piada de péssimo gosto. Tem as que ainda enfeitam seus templos, colocando manjedouras, estátuas de jumento, ovelhas, de Maria, de José, luzes... Ah, não! Isso é uma brincadeira, que Jesus não aprova, pessoal. Eu sou mesmo um pastor quadrado!

Não concordo com passarelas nem com desfile de modas dentro das igrejas. Que as senhoras e senhoritas se vistam decentemente como diz a Bíblia, mas não extrapolem no vestir onde têm tantas outras que gostariam de ter pelo menos o vestido que está no seu guarda-roupa há tanto tempo e sem utilidade pra você. Igreja é local de adoração ao Senhor em espírito e em verdade. Eu sou um pastor quadrado!

Não concordo com pregadores que dizem: na hora da pregação o Espírito Santo fala. E chega ao púlpito falando besteira, contando piadas e levando o público a rir, a se divertir com suas trapalhadas. Ei, moço, o Espírito Santo vai lembrar o que aos preguiçosos?! A Bíblia diz: Medita de dia e de noite para fazer tudo quanto está escrito. Ah, mas sou um pastor quadrado!

Não concordo com o tal "predestinação, de uma vez salvo, salvo para sempre", porque anula o sacrifício de Jesus Cristo na Cruz do Calvário;

Não concordo com pastores nem igreja (povo), que sabem que lá dentro tem fornicação, pessoas com atitudes suspeitas como prática de roubo, obreiros casados tendo casos fora do matrimônio e os mantém em suas funções como se nada disso fosse prejudicial ao Corpo de Cristo.

Não concordo com a igreja que abandona seu pastor. Que não procura nem saber se ele está comendo, pagando água e luz. Tem muitas igrejas querendo aparecer e ser grande, mas seus obreiros não têm sequer uma bicicleta para visitar as ovelhas. Sou um pastor quadrado!

É, há dez anos sou um “pastor quadrado”. Isto parece umexagero, na mentalidade relativista de muitos membros de igrejas evangélicas e até de alguns líderes. Mas é uma luta séria para levar as vidas a viverem verdadeiramente a Palavra de Deus e não se conformarem com este mundo. Mas não tem sido fácil! Poucas ovelhas querem viver seriamente na presença do Senhor; e muitos líderes, para não perderem ovelhas em a “boquinha” – porque não sabem fazer mais nada na vida -, aceitam tudo em nome do status quo e do Real.

Sou, sim, um “pastor quadrado”. E se tiver mais “quadrados” por aí querendo se juntar a nós, estamos aqui.

Tome sua cruz

Mt. 28: 18-20

Autor: Ricardo Araújo

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.

Todos nós sabemos que o sacrifício de Cristo na cruz é o que move a nossa fé para cumprir o ide de Jesus. A Cruz é um símbolo de incomodo, peso, dificuldade, por isso ninguém deseja carregar uma. A menos que fosse de isopor. Não se espante, pois há mais crentes carregando uma cruz de isopor do que a cruz de Cristo.

A cruz remete à renúncia, e renúncia é difícil. Não é um tema popular, nem atrai multidões, como temas como prosperidade material, por exemplo.

Antes de querermos fazer discípulos e abrir células, devemos ser discípulos, apoiar seu líder, concordando ou não com suas posições, mas porque ele sabe espiritualmente o resultado que você alcançará ao ser fiel aos seus comandos.

Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. (Mt 16.24)

O Senhor lança um desafio para a multidão que o seguia. Esse desafio incluía até mesmo os doze homens que continuariam a sua obra depois do seu retorno aos céus. Ainda não estavam bem claros na mente dos discípulos os objetivos de Jesus. Alguns relacionavam a sua obra com os homens do passado, como João Batista, Elias, Jeremias, ou outros grandes profetas (Mt.16:13-17)

Outros acreditavam realmente que Jesus era realmente o Messias, mas essa crença estava voltada mais para as questões sociais e políticas e não do ponto de vista dos objetivos de Deus. Pensavam na libertação do domínio do Império Romano e o estabelecimento de um reinado parecido com o reinado de Davi.

Qual é o seu objetivo em seguir aos seus líderes? Será que é para alcançar objetivos pessoais? Será que você só está aqui porque quer casar? Conseguir um emprego? Tudo isso para se sentir feliz? Qual o seu objetivo para esse ano, se arrastar pelos cantos ou conquistar uma multidão para Cristo?

Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. (Mt 16.24)

Este convite de Jesus foi uma advertência para a reavaliação do preço do discipulado. Com essa advertência, Jesus não estava interessado em procurar homens e mulheres que lhe emprestasssem uma ou duas noites por semana em um templo fechado, mas alguém que estivesse disposto a:

Se identificar com Ele em TUDO,
Dar continuidade ao trabalho que Ele começou.

Fazer o mesmo processo que o Mestre fez com seus doze discípulos.

Você tem o poder de decidir qual será o rumo de sua conquista deste ano. Não seja dependente das circunstâncias, faça a obra incansavelmente. Este é o ano de provar sua fidelidade à Deus, tome sua cruz.

Fonte: http://www.artigos.etc.br/

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Olhe para nós...

Pr. Gomes Silva

A frase acima é parte do versículo 6, do capitulo 3, do livro dos Atos dos Apóstolos. Mas transmite uma grande lição de vida para todos nós, porque mostra o caráter e o testemunho de João e Pedro, visto em suas palavras quando eles subiam para a oração da hora nova.

Se você todo o texto: Atos 3:1-10 entenderá que Pedro e João eram homens de oração (v. 1), homens com autoridade (v. 6), homens ousados (v. 7), mas eram também homens de um grande testemunho (v. 4).

É sobre testemunho que quero falar (escrever). “Olha para nós”. Você já parou alguma vez na vida para analisar a profundidade dessa frase? Precisamos ver, primeiro, que Jesus nos comissionou para sermos suas testemunhas (João 15.27; Atos 1.8). Cada crente deve testemunhar de Cristo. Testemunhar é falar do que Cristo fez por nós e pregar Sua mensagem (Atos 10.39-42). Também é dar o exemplo de uma vida cristã. É mostrar ao mundo que fomos transformados por Cristo.

Todavia, têm aquelas pessoas que são “testemunhos de vida”. Ou seja, pessoas que tem uma vida que serve de espelho, de exemplo para outras pessoas. Quando João disse: “Olha para nós”, estava dizendo, basicamente, “nós somos diferentes”, como diferentes devem ser todos aqueles que dão um passo para o Senhor, cuja vida deve ser uma carta aberta e escrita pelo Espírito Santo (2 Coríntios 3:2-3). Paulo, ao escrever a Timóteo, disse: “Torna-se padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza” – 1 Timóteo 4:12.

Só que, infelizmente, tem gente que é um “tristemunho”, uma vergonha para o evangelho de Jesus Cristo. Não devemos dar escândalo ou ser motivo de tropeço para quem quer que seja (1 Coríntios 8.9; 10.32,33; Romanos 14.13; 2 Coríntios 6.3; Filipenses 1.10). O testemunho de uma vida transformada muitas vezes fala mais alto que a pregação do evangelho. “O que você faz soa tão alto que não ouço o que você diz”. Os descrentes não lêem a Bíblia. Eles preferem olhar primeiro o testemunho daqueles que se dizem crentes. Pedro orienta que as mulheres ganhem seus maridos pelo seu procedimento (1 Pedro 3.1-2).

O homem e a mulher de Deus devem andar de conformidade com o evangelho de Cristo, dignamente (Romanos 13.13; 2 Coríntios 8.21; Filipenses 1.27; Colossenses 1.10; 2.6; 1 Tessalonicenses 2.12; 4.1,11,12; 1 Pedro 2.12), diante de Deus e dos homens, a fim de que Deus seja glorificado em nós.

Eu te pergunto: você tem sido um testemunho de vida? Um referencial entre os seguidores de Jesus Cristo? Se pedisse a alguém para olhar para você, o que essas pessoas veriam? Um homem compromissado com a Palavra de Deus, obviamente a sua praticabilidade? Um medroso, um anônimo seguidor de Cristo? Um péssimo exemplo, daqueles que o povo do “mundo” pergunta: Esse tal é crente?

Se você anda contramão da vontade e determinação de Deus, comece a mudar seus conceitos e a reconhecer a necessidade de um nascimento verdadeiro, da água e do Espírito.

Mas, pelo menos reflita nas palavras de João: “Olha para nós”.

Deus te abençoe!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Morre no Hospital João XXIII o irmão Nivaldo Damião

ENTERRO FOI HOJE À TARDE EM ALAGOA GRANDE

Infelizmente perdemos o irmão Nivaldo Damião dos Santos। Ele teve uma parada cardíaca ontem e não resistiu, apesar de ter sido muito bem atendido pelos médicos do Hospital João XXIII para onde foi levado.

O enterro foi agora à tarde em Alagoa Grande, para onde viajamos ao meio-dia para dá assistência aos familiares, principalmente a seu pai, irmãos João Damião, e Nivânia, sua irmã.

Muitos familiares de Campina Grande e João Pessoa foram prestar as últimas homenagens a Nivaldo.

Pastor Michael lança seu 1º CD, hoje no Caobe de Esperança

Será nesta segunda-feira, às 19h30min, o lançamento do CD do pastor-cantor, Michael Lopes, no Clube CAOBE de Esperança-PB. A festa está pronta, esperando tão-somente o momento para começar. Este é o primeiro trabalho musical do pastor Michael, da Igreja Evangélica do Comando de Oração, cujo carro-chefe é: Deus não Perde em Questão.

Diz o pastor Michael no convite: “Algumas pessoas podem caminhar sozinha, mas outras precisam ser acompanhadas, precisam sentir a presença de pessoas queridas”. Esta frase me chamou muito atenção pelo fato de ser pastor e ter vivenciado muitos momentos em que pessoas precisam de pessoas queridas para dá a volta por cima em muitos desafios.

Do lançamento do pastor Michael Lopes participação, de forma especial, o harpista Ari Noronha, de Natal-RN; e o conferencista Joederson Lima, de Salvador-BA.

Grato pelo convite!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

AINDA HÁ ESPERANÇA

Pr. Gomes Silva

Foto google ilustrativa
Vivemos num mundo em que a maioria das pessoas não quer saber de Deus. Elas entendem que não precisam de uma direção divina. No entanto, estão todas doentes: ódio, amarguradas, tristes, sem perspectiva de vida futura, enroladas nos negócios desta vida. E o que é pior: estão caminhando para o inferno.

Muitas vezes, uma pessoa com esses problemas esconde sua realidade por trás de um falso sorrido, num copo de bebida, transmitindo um estado de coisa que não é o normal em sua vida. Todavia, para você que se encontra nessa situação, nem tudo está perdido. Ainda existe uma esperança na sua vida.

A esperança existe, sim:

1. Para quem pensa em vencer o negativismo – Mt 11:28
2. Para quem crer no poder de Deus – Marcos 15:16
3. Para quem buscar a Deus - Jeremias 29:13-14a
4. Para quem sonha em Cristo – João 16:33
5. Para quem espera em Deus – Sl 40:1-3
6. Para que se arrepende dos pecados e aceita Cristo como seu Salvador – Atos 3:19

Arrependa-se de seus pecados e diga "Sim" a Jesus, aceitando-o como seu Salvador. E, em pouco tempo, você vai me passar um e-mail contando a sua experiência com Cristo.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A culpa é do pastor

Renato Vargens

A vida nos reserva momentos extremamente desagradáveis, até porque, não são poucas as oportunidades em que enfrentamos problemas em nossa caminhada existencial. Em situações onde a crise se faz presente é natural com que sejamos tomados pelo sentimento de que alguém e não nós mesmos, é o responsável direto boa parte dos nossos conflitos.

O fato é que tais indivíduos inconscientemente procuram bodes expiatórios para transferir a estes a responsabilidade direta dos seus fracassos. Se o desemprego chegou a casa, se o casamento não vai bem, ou se o time do coração perde, alguém precisa ser responsabilizado por isso.

Talvez este seja um dos motivos porque os pastores levem a culpa de alguns dos aborrecimentos de seus membros. Até porque, não são poucos os cristãos que fazem do seu pastor um tipo de pára-raios onde descarregam suas decepções e frustrações.

Creio que somente o poder de Cristo e do evangelho pode ajudar tais pessoas a assumirem seus erros e responsabilidades, transformando-as em indivíduos mais bonitos, plenos e felizes. Para tanto, torna-se indispensável que haja no coração daquele que desenvolve este tipo de comportamento a necessidade de mudança imediata em seus hábitos e atitudes.

Quanto aos pastores, em vez de nutrir a alma de sentimentos perniciosos devido as pedradas lançadas pelos membros de sua comunidade, deve se reanimar no Senhor, depositando diante daquele que tudo pode suas dores e angústias crendo que o Senhor cuidará de cada um nós.

Pense nisso!

Fonte: Renato Vargens

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

RECADO DA POLÍCIA MILITAR

CUIDADO em BARES, RESTAURANTES, IGREJAS
e outros locais de encontros coletivos.

Bandidos estão dando de 10 x 0 em criatividade, em nós e na Polícia, portanto, vamos acabar com isso... Vejam: Você e seus amigos ou familiares estão num bar ou restaurante, batendo papo e se divertindo. De repente chega um indivíduo e pergunta de quem é o carro tal, com placa tal, estacionado na rua tal, solicitando que o proprietário dê um pulinho lá fora para manobrar o carro, que está dificultando a saída de outro carro.

Você, bastante solícito vai, e ao chegar até o seu carro, anunciam o assalto e levam seu carro e seus pertences, e ainda terá sorte se não levar um tiro...

Numa mesma noite, o resgate da Polícia Militar atendeu a três pessoas baleadas, todas envolvidas no mesmo tipo de história.

Repasse esta notícia para alertar seus amigos... O jeito, em caso semelhante é ir acompanhado! Chame alguns amigos para ir junto, e de longe verifique se é verdade.

Isto também pode acontecer, quando se está na igreja, supermercado... ou em outros locais de encontros coletivos.

'MENSAGEM TRANSMITIDA PELO ATENDIMENTO 190 '
___________________
NOTA DA REDAÇÃO

Quero agradecer ao Comando da Polícia Militar pelo reconhecimento do nosso humilde blog e na seriedade com que comunicação os fatos. Nosso e-mail está à disposição dos internautas: pr.gomessilva@gmail.com e os nossos telefones também: 83 - 8650 7572 e 9305 4864

Pr. Gomes Silva
Diretor-editor do blog

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Conheça a lista dos desejos do jovem do século 21

Perguntados sobre “o que é mais importante nas suas vidas”, 89% dos jovens brasileiros responderam “ter sucesso profissional”, contra apenas 69% dos jovens dos demais países ouvidos pela pesquisa “Juventude 30 Quilates”.

Mais de 80% dos brasileiros também disseram que querem ser bons pais/mães, ter casa própria, ser um parceiro carinhoso, ter um emprego que o faça feliz, aprender mais e desenvolver as habilidades, fazer coisas felizes e prazerosas...

Se há algumas décadas a juventude era apenas um curto período de tempo entre a adolescência e a vida adulta, hoje ela é uma das fases mais importantes para a formação e desenvolvimento de uma pessoa. “Antes, não se tinha o direito de ser jovem. Agora, a juventude, não é vista só como uma etapa. É uma época para experimentação profissional, para experimentação da vida mesmo”, explica Jorge Abrahão, diretor de Estudos e Políticas Sociais do IPEA.

Leia o restante da matéria

Fonte: Ig - Último Segundo

COLUNA DO PASTOR GOMES SILVA

EXPERIÊNCIAS EM LIVRO
As experiências vividas pelo casal Joide e Edna Miranda (foto) vão ser transformadas em livros, intitulado: O Diário de Um Travesti, no qual eles relatam a realidade da vida de um travesti - o lado que a mídia não mostra, e que eles não sabem quando entram nessa vida.

Os dois serão palestrantes do V Encontro Para a Sexualidade Sadia, evento paralelo do 12º Encontro.

PELA PARAÍBA
Indiscutivelmente a realização de cafés da manhã em várias cidades do Estado elevou ainda mais a credibilidade da VINACC visando ao 12º Encontro Para a Consciência Cristã.
Contamos com a presença de todos os pastores que tomaram ciência do que será esse evento em 2010.

IGREJA EM CRISE
Durante sua devocional para os pastores de João Pessoa, em almoço realizado pela VINACC no Palace Gourmet, o pastor Paulo Solonca lembrou que a igreja brasileira passa por uma grande crise de identidade e que muitos púlpitos estão destituídos de poder.
Concordo plenamente!

LUTAR ATÉ O FIM
O deputado Nivaldo Manoel me afirmou que vai continuar lutando pela causa evangélica na Paraíba. Ameaçado de perder o mandato por infidelidade partidária, porque trocou de legenda, saindo do PPS para o PMDB, ele disse que vai lutar pelos seus direitos.
Eu também lutaria, sim!


SAUDADES, JÁ!
O pastor Roberto Silva, que fundou a 1ª Igreja Batista das Malvinas, agora está em João Pessoa. A direção da igreja foi transferida para o pastor Dorivan. Como já era de se esperar, para muita gente a saída do pastor Roberto foi um choque. Ele conseguiu fazer muitas amizades em CG.
Contudo, é bom frisar que ele saiu porque foi trabalhar em João Pessoa, já que concluiu o curso de Bacharel em Direito e vai lutar para ser juiz.
Deus TE abençoe, PASTOR ROBERTO!

________________________
Esta coluna foi publicada na edição de dezembro do Jornal Consciência Cristã em Foco, que é editado pelo autor desta.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

ALAGOA GRANDE REALIZA O PRIMEIRO CASAMENTO COLETIVO

Pr. Gomes Silva

A cidade de Alagoa Grande, no Brejo Paraibano, esteve em festa na manhã deste domingo (29), quando mais de 100 casais (formados de jovens, adultos e até idosos) oficiaram o casamento no Civil. Foi o Primeiro Casamento Coletivo em toda a história da cidade de Jackson do Pandeiro. A realização foi da Prefeitura.

Uma comissão organizadora, tendo a frente a senhora Yêda Carneiro, mãe do prefeito João Bosco Carneiro Júnior, começou a trabalhar há mais de sessenta dias. A conclusão dos trabalhos

aconteceu ontem à noite com a belíssima ornamentação do Ginásio Poliesportivo de Alagoa Grande.

Hoje, logo cedo, pessoas de várias partes da cidade – principalmente de parentes dos noivos -, chegaram cedo ao ginásio para garantir um lugar. Mas a prioridade era para os casais, que, aos poucos foram chegando. E, recepcionados a caráter por uma equipe organizadíssima, as pessoas iam preenchendo a cada espaço.


Quem também chegou cedo ao local foram algumas autoridades políticas do Estado, convidadas do prefeito João Bosco Carneiro Júnior. Entre elas estavam o presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado Arthur Cunha Lima e o também deputado estadual, Ricardo Marcelo. Da cidade, vários vereadores marcaram presenças, a exemplo do presidente da Câmara, vereador Josildo.

A senhora Yeda fez a saudação aos casais e convidados. Em seguida, o Juiz Edailton Medeiros Silva, da Comarca de Areia (Alagoa Grande está sem juiz), iniciou a cerimônia civil, comentando a importância do casamento e a responsabilidade de cada cônjuge.

Após a cerimônia, os casais passaram a comemorar o ato, lá mesmo, sendo que a cada casal e seus convidados, a comissão organizadora disponibilizou um bolo, salgados e muito refrigerante.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A Loucura do Evangelho ou as Loucuras dos Evangélicos?

Augustus Nicodemus Lopes

O apóstolo Paulo escreveu aos coríntios que a palavra da cruz é loucura para a mente carnal e natural, para aqueles que estão perecendo (1Co 1:18, 21, 23; 2.14; 3.19). Ele mesmo foi chamado de louco por Festo quando lhe anunciava esta palavra (Atos 26.24). Pouco antes, ao passar por Atenas, havia sido motivo de escárnio dos filósofos epicureus e estóicos por lhes anunciar a cruz e a ressurreição (Atos 17:18-32). O Evangelho sempre parecerá loucura para o homem não regenerado. Todavia, não há de que nos envergonharmos se formos considerados loucos por anunciar a cruz e a ressurreição. Como Pedro escreveu, se formos sofrer, que seja por sermos cristãos e não como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outros (1Pedro 4.15-16).

Nesta mesma linha, na carta que escreveu aos coríntios, o apóstolo Paulo, a certa altura, pede que eles evitem parecer loucos: "Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas, no caso de entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos?" (1Co 14:23). Ou seja, o apóstolo não queria que os cristãos dessem ao mundo motivos para que nos chamem de loucos a não ser a pregação da cruz.

Infelizmente os evangélicos - ou uma parte deles - não deu ouvidos às palavras de Paulo, de que é válido tentarmos não parecer loucos. Existe no meio evangélico tanta insensatez, falta de sabedoria, superstição, coisas ridículas, que acabamos dando aos inimigos de Cristo um pau para nos baterem. Somos ridicularizados, desprezados, nos tornamos motivo de escárnio, não por que pregamos a Cristo, e este, crucificado, mas pelas sandices, tolices, bobagens, todas feitas em nome de Jesus Cristo.

O que vocês acham que o mundo pensa de uma visão onde galinhas falam em línguas e um galo interpreta falando em nome de Deus, trazendo uma revelação profética a um pastor? Podemos dizer que o ridículo que isto provoca é resultado da pregação da cruz? Ou ainda, o pastor pião, que depois de falar línguas e profetizar rodopia como resultado da unção de Deus? (foto) Ou ainda, a "unção do leão" supostamente recebida da parte de Deus durante show gospel, que faz a pessoa andar de quatro como um animal no palco?

Eu sei que vão argumentar que Deus falou através da burra de Balaão, e que pode falar através de galináceos ungidos. Mas, a diferença é que a burra falou mesmo. Ninguém teve uma visão em que ela falava. E deve ter falado na língua de Balaão, e não em línguas estranhas. Naquela época faltavam profetas - Deus só tinha uma burra para repreender o mercenário Balaão. Eu não teria problemas se um galinheiro inteiro falasse português na falta de homens e mulheres de Deus nesta nação. Mas não me parece que este é o caso.

Sei que Deus mandou profetas andarem nus e profetizarem e fazerem coisas estranhas como esconder cintos de couro para apodrecerem. E ainda mandou outros comerem mel silvestre e gafanhotos e se vestirem de peles de animais. Tudo isto fazia sentido naquela época, onde a revelação escrita, a Bíblia, não estava pronta, e onde estes profetas eram os instrumentos de Deus para sua revelação especial e infalível. Não vejo qualquer semelhança entre o pastor pião, a pastora leoa e o profeta Isaías, que andou nu e descalço por três anos como símbolo do que Deus haveria de fazer ao Egito e à Etiópia (Is 20:2-4).

Eu sei que o mundo sempre vai zombar dos crentes, mas que esta zombaria, como queria Paulo, seja o resultado da pregação da cruz, da proclamação das verdades do Evangelho, e não o fruto de nossa própria insensatez.

Eu não me envergonho da loucura do Evangelho, mas das loucuras de alguns que se chamam de evangélicos.

Fonte: O tempora, ó more

terça-feira, 17 de novembro de 2009

O LADO MATERNO DO HOMEM

Pr. Raul Marques
Sousa - PB

Se existe algo que me deixa extasiado e absurdamente maravilhado, é o fato divino-humano da geração de vida no ventre materno. Não pode existir algo mais sublime e tão complexamente engenhoso! Com esse mesmo sentimento o salmista se expressou quando escreveu o Salmo 139:14 "Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem".

A maternidade é um milagre de Deus: torna as mulheres muito mais bonitas, mais sensíveis, mais frágeis, mais divinas e, sem sombra de dúvidas, mais encorajadoras da raça humana. Através da sensibilidade feminina, sobretudo na gestação, o homem consegue flexibilizar o coração; e, através do fruto do ventre da mulher ele é moldado, de tal maneira que se desencoraja para a guerra e se potencializa para o exercício da paz.

Junto da mulher o homem experimenta o seu lado mãe: ele torna-se capaz de amar com todas as forças do seu coração. Junto da mulher o homem se completa, pois esse é o plano original de Deus. Com o nascimento dos meus filhos eu me vi envolvido na nobreza de ser Pai. Com o nascimento da minha neta, experimentei a sublimidade de ser Pãe, uma forma híbrida de ser pai e mãe. Foram experiências maternas na pele e na alma masculina que Deus criou.

Sempre que me deparo com mulheres grávidas sinto a presença de Deus mais claramente diante de mim. Percebo que nem tudo está perdido. Deste modo posso crer muito mais nos efeitos do amor. A gestação mexe com a minha consciência poética; mexe com a minha aura romântica; mas, mais do que isto, leva-me à majestade infinita de um Deus tão maravilhoso, que na sua graça e misericórdia foi capaz de amar perfeitamente seres tão imperfeitos na sua santidade, tornando-os como Ele, criadores de vida. Que o Senhor conserve sempre em cada homem cristão o lado materno de ser, pensar e agir, ensejando-lhe o caráter e a dignidade de ser homem e de amar.

Fonte: Blog do autor

Governador participa do encerramento da Marcha para Jesus

O governador da Paraíba, José Maranhão, acompanhado da primeira dama desembargadora Fátima Bezerra, participou da solenidade de encerramento da Marcha para Jesus 2009, na noite do último sábado (14), na praia de Tambaú, em João Pessoa. Na ocasião, ele entregou simbolicamente a chave do Governo do Estado aos pastores que organizaram o evento.

Maranhão destacou a importância do evento que todos os anos é organizado pelas pastores das igrejas evangélicas e simboliza a paz, a união e a fraternidade de todos os paraibanos. “A Marcha para Jesus é um evento que consegue reunir milhares de evangélicos de todo o Estado num momento de paz, alegria e muita oração”, concluiu.

Em seguida, os pastores fizeram um círculo em volta do governador para orar desejando saúde, prosperidade e sabedoria na sua missão de administrar o Estado. Maranhão falou da força de Jesus na sua vida e na vida de cada um dos presentes, do momento puro e glorificante que estava vivenciando na presença dos evangélicos e finalizou desejando para todos ‘dias de paz e amor’.

Este ano, cerca de 50 mil pessoas participaram do evento. Com o tema “Vidas, Salvando Vidas”, a Marcha para Jesus em sua sexta edição procurou ajudar a aumentar o número de doadores de medula óssea na Paraíba. O Hemocentro da Paraíba instalou um posto móvel para fazer a captação dos doadores. O cadastro dessas pessoas vai fazer parte do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

A Marcha para Jesus é organizada todos os anos pela Associação de Pastores Evangélicos da Paraíba (Apep). A concentração este ano foi na bifurcação das avenidas Rui Carneiro e Epitácio Pessoa, em frente ao antigo Posto Free Way, a partir das 14h. Os participantes seguiram em caminhada pela Avenida Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, na praia de Tambaú. O encerramento contou com a presença do cantor Rodolfo Abrantes, ex-integrante da banda Raimundos.

Fonte: Paraíba.com.br

Ouça a voz do Espírito Santo!

“Expulsar-vos-ão das sinagogas (igrejas)… Jesus não está falando aqui de ímpios, mas da oposição e hostilidade da parte de autoridades religiosas e congregações. “( Marcos-13: 11).

Ao ódio que o mundo tem de homens e mulheres de Deus, inclui esses líderes religiosos, todos os professos ou igrejas infiéis aos Ensinos de Jesus Cristo, e a relação apostólica que não procuram manter-se separado do mundo corrupto.

O Espírito Santo realiza a Obra, afim de despertar à consciência da culpa, e, da necessidade de perdão, mas muitos, não dão à mínima importância, ignorando-O e a sua operação, por causa de suas incredulidades e o pecado.

Convence do pecado: O Espírito Santo convence o homem de que Jesus é o Santo Filho de Deus verdadeiramente. Ele procura despertar no ser humano a “FÉ” na Palavra de Deus para o “arrependimento”. O Espírito Santo não força ninguém à conversão. Ele procura despertar: convencer pela pregação do Evangelho, usando as pessoas que se dispuseram suas vidas pelo amor a Cristo.

Vamos deixar nossos corações e ouvidos bem abertos para entender e cumprir aquilo que o Espírito Santo nos revela a cada dia.

Sejamos crentes fiéis!

Fonte: www.estudosbiblicosonline.com.br

Agenda do pastor Gomes para novembro

Dia 14 – Tarde, participa da reunião da Convenção Batista Independente no Hotel Vilage, em Campina Grande;

À noite, participa na 1ª Igreja Batista das Malvinas, da despedida do pastor Roberto Silva, que passou a igreja para o pastor-missionário Dorivan;

Dia 15 – Prega na Igreja Evangélica Expressão de Amor, em Alagoa Grande;

Dia 29 - Prega na Igreja Independente Betel, em Campina Grande. Pr. Gilberto Abrantes.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Você é mesmo feliz? Parte I

O que a bíblia fala sobre felicidade

Oziel Alves e Priscila Gorzoni
Revista Enfoque Gospel


O que faz alguém feliz? Ter muito dinheiro no bolso, servir a Jesus, passar no vestibular, se casar ou simplesmente ver um pôr do sol? Pode até parecer simples tentar definir felicidade, mas não é. “Felicidade pode se referir a uma aspiração, uma esperança ou ideal, em que não haja sofrimento, privações e frustrações. O nosso desafio é o desenvolvimento, a autonomia, descobrirmos ‘qual é a nossa’, o que temos de essencial e original. Isso irá nos dar autonomia e liberdade para nos realizar, nos satisfazer e nos deixar mais em harmonia com o que somos de fato”, reflete Oswaldo Ferreira Leite Netto, médico psiquiatra, diretor técnico do Serviço de Saúde e Psicoterapia do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Esse sentimento que há tantos anos persegue o ser humano não vem como um “pacote pronto”. A felicidade se constrói a partir da capacidade que cada pessoa tem de interagir com os aspectos positivos e negativos da sua própria história de vida e realidade. “A pessoa feliz é aquela que aprendeu a lidar com seus problemas, limitações, mas sobretudo acredita nas suas potencialidades. Deus nos dá a cada manhã a possibilidade de novas realizações. Por isso, precisamos ter coragem de reescrever nossa história de vida com capítulos de felicidade, apesar de possíveis dissabores”, exemplifica Sérgio Fonseca, psicólogo clínico e pastor auxiliar da Igreja Presbiteriana do Fonseca, em Niterói, Rio de Janeiro.

A BIOLOGIA DA FELICIDADE

A descoberta da localização da felicidade no cérebro se deve ao professor de psicologia e psiquiatria Richard Davidson, da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos. Davidson relatou que esse sentimento concentra-se na cinzenta, uma região conhecida como lobo temporal esquerdo, também responsável pelo aprendizado, linguagem e decodificação dos sons.

Davidson chegou a essa conclusão após medir com eletrodos a atividade cerebral de monges budistas em meditação. Quando alcançavam o estado de bem-estar absoluto, a atividade elétrica no lobo temporal esquerdo disparava. Dessa forma, o pesquisador provou que ser ou estar feliz é biológico.

O caminho da felicidade dentro do cérebro é interessante. O nervo óptico transforma em impulsos nervosos a imagem captada pela visão. Em seguida, o córtex visual decodifica a informação e a envia para o tálamo, que é responsável pelas emoções. Depois o hipocampo compara as informações recebidas com as arquivadas como se fossem arquivos de disquetes.

Leia o restante deste artigo no site da Elnet

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A Tríplice Missão da Igreja

Marcos Arrais

A busca da integralidade da Igreja é um objetivo que nos desafia a séculos. Entender a sua natureza e propósito é permitir que desempenhemos nossa função tridimensional.

Primeira dimensão: Adoração.
Aqui está o papel número um do povo de Deus: oferecer-lhe sacrifícios vivos e agradáveis: “também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo” (1Pedro 2.5). É no desempenho de seu papel adorador que a Igreja encontra sua missão em nível de maior transcendência. A Igreja executa o seu verdadeiro sacerdócio quando ela entra nos Santo dos Santos a fim de ministrar à santidade e à majestade do Criador. Somente ela desempenha o papel da verdadeira adoração, uma vez que esta só pode acontecer quando é feita em “espírito” e em “verdade” (Jo 4.24). Adorar a Deus é reconhecê-lO em todos os Seus atributos, como o amor, santidade, eternidade, poder absoluto etc e refletir essas qualidades. Quando a Igreja perde essa dimensão, torna-se uma organização fria, morta e institucionalizada. Mas à medida em que a busca e nela flui, então os rios de vida começam a jorrar de seu ser, liberando a própria vida de Deus.

Segunda dimensão: Comunhão.
Uma marca de suma importância entre o povo de Deus é a marca relacional. O Novo Testamento usa a palavra “koinonia” para expressar a maneira como os cristãos se relacionam uns com os outros. Esse relacionamento deve acontecer de forma sincera, transparente e sadia, buscando o bem do outro e edificando-o enquanto caminhamos juntos. Por meio da comunhão expressamos uns aos outros o amor do Pai que é derramado sobre os filhos por meio do Espírito Santo (Romanos 5.5). Viver esse amor uns para com os outros, nos caracteriza como verdadeiros filhos de Deus e é evidência de que nascemos de novo, uma vez que ser cristão é buscar vivenciar e manifestar o caráter do Salvador enquanto andamos juntos. Na comunhão nos aperfeiçoamos e nos fortalecemos, pois estamos ligados à única Videira Verdadeira (João 15).

Terceira dimensão: Evangelização.
Aqui encontramos o nosso papel proclamador, uma vez que somos chamados a comunicar as grandezas de Deus (1Pedro 2.9). A Igreja não pode se fechar em torno de seus próprios muros dogmáticos e denominacionais, desprezando aqueles que hoje caminham para o inferno. Precisamos compreender os mecanismos da cultura em que vivemos a fim de identificar as necessidades do nosso campo de trabalho. Desenvolver formas e estruturas contemporâneas de evangelização constitui-se num desafio de vital importância para a expansão do Reino. Precisamos rever nossos métodos de trabalho e francamente considerar se temos sido efetivos no alcance dos perdidos ou se estamos insistindo em estruturas arcaicas para mantermos uma tradição que mais amarra do que auxilia. Romper com paradigmas é fundamental para avançarmos na evangelização.

Só uma Igreja tridimensional é capaz de desempenhar sua função de forma efetiva em todas as eras. Para tanto, precisamos rever o Novo Testamento à luz dessa perspectiva e examinar as bases em que fomos fundamentados, bem como os princípios que nos abalizam e que servem para qualquer época. Uma Igreja triunfante edifica-se a si mesma em amor, enquanto adora a Deus e expande sua esfera de ação para todas as direções. Convidamos você a estar conosco na busca de resgatarmos nossa tríplice missão.

Fonte: blog do autor

Os meus parentes e amigos se afastaram

JÓ 19.13-27
Pr. Gomes Silva

"Deus fez com que os meus irmãos me abandonassem; os meus conhecidos me tratam como se eu fosse um estranho. Os meus parentes se afastaram; os meus amigos não lembram mais de mim. Os meus hóspedes fazem de conta que não me conhecem; as minhas empregadas me tratam como se eu fosse um estrangeiro. Chamo um empregado, e ele não me atende, nem mesmo quando peço alguma coisa por favor. A minha mulher não tolera o mau cheiro da minha boca; os meus irmãos têm nojo de mim. Até as crianças me desprezam; assim que me levanto, já estão zombando de mim. Todos os meus amigos íntimos me detestam; as pessoas que eu mais estimo estão contra mim. Virei pele e osso; mal consigo ir vivendo. Meus amigos, tenham pena de mim, pois foi a mão de Deus que me feriu. Por que vocês me perseguem como Deus me persegue? Por que não param de me atormentar?

O meu defensor vive "Como gostaria que as minhas palavras fossem escritas, que fossem escritas num livro! Ou que com uma ponteira de ferro elas fossem gravadas para sempre no chumbo ou na pedra! Pois eu sei que o meu defensor vive; no fim, ele virá me defender aqui na terra. Mesmo que a minha pele seja toda comida pela doença, ainda neste corpo eu verei a Deus. Eu o verei com os meus olhos; os meus olhos o verão, e ele não será um estranho para mim. E desejo tanto que isso aconteça!

Você consegue entender porque o seu problema é pequeno diante de tantos outros? Não importa o problema aos teus olhos: Grande, pequeno, pequenino. Para todos eles existe uma solução. Deus!

Jó, como lemos no texto bíblico, enfrentou inúmeras situações que, se fosse outra pessoa, talvez teria seguido os conselhos da mulher, de amaldiçoar a Deus; de entrar em depressão por conta do desprezo que lhes proporcionaram, além das humilhações por conta do seu estado calamitoso. Mas, não! Ele continuou firme, sabendo que um dia se encontraria com o Seu Redentor.

A perseverança de Jó é um exemplo pra mim e pra você, querido internauta. Tantos desafios nos cercaram ao longo de nossa vida. Contudo, conseguimos vitoriar, mesmo que, para isto, tivéssemos que amargar momentos de angústia, de tristeza, de perda de sono. Deus nos ajudou e conseguimos triunfar.

Não se desespere. Seu problema é pequeno diante do poder de Deus. Ele vai te dá uma grande vitória! Creia, pois quem crê, verá a glória do Senhor!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Quando duas mães se encontram...

...a emoção é redobrada

Pr. Gomes Silva

Tinha acabado de entrevistar a primeira-dama do município de Campina Grande e secretária de Interiorização e Ação Governamental do Governo do Estado, Ana Cláudia Nóbrega, na saída do amplo salão de festas do Garden Hotel, quando chegou a jornalista Patrícia Alves, uma das cabeças pensantes do portal Paraibaonline.com.br. E as duas iniciaram um diálogo pra lá de interessante e emocionante.

Ana Cláudia, mãe de dois filhos, e Patrícia, grávida pela primeira vez. Você já imaginou o grau da conversa entre as duas? Imagino. Eu, uma jornalista, que acompanhava Patrícia, e uma assessora de Ana Cláudia, apenas contemplávamos aquele bate-papo de duas mães amorosas.

Dos lábios de Ana Cláudia, as doces palavras que ratificam o que é ser mãe. Para ela, ser mãe é abdicar-se de ser mulher, de ter uma vida própria e restar-lhe apenas preocupação! Mas ao mesmo tempo este prazer único e indescritível, talvez por isso só as mulheres possam ser mãe, devido sua sensibilidade e capacidade de entrega.

Experiente no assunto, Ana Cláudia expressava a importância de ser mãe enquanto Patrícia, com olhar alegre, quase vai às lágrimas ao falar do que sentia quando a criança (Pedro) se mexia em sua barriga. A primeira-dama se emocionou e confessou: tenho que parar senão vou chorar.

Naquele instante, pensei cá comigo. Que lindo essa cena. Duas senhoras ligadas por um mesmo sentimento: amor pelos filhos. Esse amor que faz a mãe esquecer a espera de nove meses e as dores que sente na hora do parto. Que emoção. Lembrei-me de há 23 anos quando fiquei à porta da sala de parto do Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Fátima, em Picuí, esperando minha querida Eliza “ganhar” nosso primeiro filho: Sterphanyohanson.

Quase de lágrimas nos olhos, Ana Cláudia se despede de todos nós. Patrícia vira-se pra mim e continua a conversa, agora, falando de como tudo acontecera. Ela me afirmou que seu filho é uma bênção dada por Deus já que não podia ter filho, conforme assegurara os médicos que a assistiram. “Pastor, esse filho é um milagre de Deus na minha vida”, confessou.

Sinceramente, leitor, fiquei impactado com a simpatia de Ana Cláudia e seu emocionalismo ao referir-se ao “ser mãe”; e com a alma alegre de Patrícia e sua forma de gratidão a Deus pelo presente: chamado Pedro (eita Pedrinho, você nem sabe que uma galera numerosa lhe espera ansiosamente!).

Parabéns a Patrícia e a seu esposo, o também jornalista Marcos Vasconcelos (TV Paraíba). Que Pedrinho venha trazendo muita alegria, proporcionando, assim, cada vez a felicidade do estimado e querido casal. E que possamos nos reunir num grande culto de louvor e adoração a Deus.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Uma questão de caráter cristão

Pr. Gomes Silva

Madrugada fria, silenciosa; apenas o tic-tac do relógio na parede nos incomodava com alguns latidos de cachorros vindos de muito longe, quando a curiosidade me despertou a buscar entender o viver de muitos que estão a afirmar ser seguidores de Cristo Jesus.

A mente invadiu o campo da imaginação, mas fluindo na veracidade dos fatos, que envergonham o Evangelho da Cruz, marcado pelo sangue e pela dor restauradores de Cristo Jesus – o humilde sofredor por causa dos pecadores – Fl 2:5-11. Analisando esses detalhes, encontrei-me convicto de que poucos, hoje, vivem em função de Cristo, como o apóstolo Paulo falou aos Gálatas – 2:20, muito menos buscam viver o caráter íntegro, dado por Deus - Gn 1:26.

O caráter íntegro, que deve ser uma marca do cristão, tende a desvalorizar-se por falta de aprimoramento (2 Pe. 1:5-8), e a corromper-se por causa do pecado (Gn 3:6-7), tornando a natureza moral do homem, criado à semelhança de Deus: santo, justo e perfeito (Gn 1:26-27; Ec 7:29: Ef 4:24), cada vez mais corrompida pelos males que afetam a humanidade sem Deus (Rm 1:18-32) e até os que já professam Cristo como seu Salvador (At. 4:12).

Antes de nos determos em fatos reais que afetam os cristãos, faz-se necessário definirmos o que é o caráter. Antes de ter um caráter formado, o homem passou pelos estágios do temperamento (estado de humor e às reações emocionais de uma pessoa, ou seja, o seu modo de ser) e da personalidade (que envolve emoção, vontade e inteligência de uma pessoa, ou seja, aquilo que uma pessoa é).. Esses dois fatores (temperamento e personalidade) influenciam o caráter, que é o conjunto das qualidades boas ou más de uma pessoa. Além disso, essas qualidades determinam a conduta humana em relação a Deus, a si mesmo e aos outros.

A Bíblia é farta de ensinamentos referentes à virtude, à moral e ao caráter cristão, mas parte dos seguidores de Cristo não quer viver conforme a Palavra de Deus. Eles preferem a insensibilidade moral, a permissividade, a mentira, a malícia, a concupiscência, a cobiça e a ambição em vez de uma vida de comunhão com o Espírito Santo, conhecedora da Palavra do Evangelho e disciplinada através do jejum e da oração.

Se você não prestou atenção no parágrafo anterior, pode dizer: estas são características de não-crentes. Sim, mas eu me refiro aos cristãos que estão dentro de igrejas por aí afora. Ou seja, entre muitos que estão nas igrejas e o povo sem Deus, não há diferença, quando a mensagem essencial do evangelho diz que, ao decidir-se por seguir a Cristo, o homem tem que mudar a mentalidade e suas atitudes...

Veja os dados surpreendentes de uma estatística do Instituto Gallup, contidos no livro “Disciplinas do Homem Cristão”, do escritor Kent Hughes (2004), que mostra como está o caráter de alguns “seguidores” de Cristo: 43 por cento de não-frequentadores de igrejas admitem que furtam material de escritório, contra 37 por cento dos freqüentadores das comunidades evangélicas. Como se vê, a conduta ética geral dos cristãos varia muito pouco em comparação aos não-cristãos. Infelizmente, os cristãos são quase idênticos aos não-cristãos: eles falsificam sua declaração de imposto de renda; cometem plágio/colam; copiam programas de computador ilegalmente; roubam tempo; dizem aos outros o que gostariam de ouvir.

E muitos ficam a perguntar: por que, agora, com tantos pregadores excelentes, estudiosos e teólogos, bons compositores e interpretes da música gospel e poucos são os que aceitam Cristo como Seu Salvador? A resposta é simplesmente com outra pergunta: Como o homem aceitará Cristo como salvador se não há testemunho, mudança de vida n’alguns que já estão dentro de uma igreja?

Isto tudo é uma questão de caráter e vida no altar. O que, infelizmente, muitos não têm.

Fonte: Bíblia de Estudos Almeida e Revista da EBD – CPAD/2007

A autoridade exclusiva da Bíblia... Simples assim!

Dr. Russell Shedd

A autoridade da Bíblia depende da revelação vinda de Deus. Se Deus não falou, então somos iguais a uma nave espacial que está fora de contato com sua base. Mensagens não alcançam os tripulantes que esqueceram de onde partiram e muito menos sabem para onde vão. Sem a Palavra autoritária da Bíblia estamos perdidos. (...)

A divisa da Reforma foi Sola Escriptura, que significa: “A única fonte e norma de todo o conhecimento cristão é a Sagrada Escritura” (H. Heppe, Dogmática Reformada). (...)

Nenhum mestre ou pastor evangélico deve ensinar nada que esteja em desacordo com os autores da Bíblia e nem deve elevar qualquer prática religiosa a um nível de ser exigida, se não tiver sustento nas Escrituras Sagradas. Quando Lutero foi congratulado por ter se firmado nas Escrituras, declarou: “Não, não estou firme nas Escrituras; estou firme debaixo das Escrituras!”. Entendeu corretamente a suprema importância de humildemente se sujeitar aos ensinamentos bíblicos como a única fonte e norma de doutrina e prática cristãs.

Algumas implicações das convicções apresentadas:

1) O cânone dos 66 livros da Bíblia é permanente e imutável. Ninguém jamais tirará um desses livros ou acrescentará outro.

2) A declaração Sola Scriptura se baseia totalmente na inspiração plenária das Escrituras. Se surgir uma outra revelação verbal da verdade sobre Deus e Sua vontade que seria obrigatória para os cristãos crerem e praticarem, a veracidade da Sola Scriptura seria insustentável.

3) As figuras que a própria Bíblia usa para se autodesignar são indicativas desta realidade. Ela é luz para mostrar o caminho em que devemos andar (Sl 119.105). Ela é a semente que gera vida eterna (1 Pe 1.23).

4) Ser a Bíblia nossa única regra de fé e prática não nega a possibilidade de Deus revelar sua vontade individual para um servo dele, para mostrar sua vontade particular para ele. Deus ainda fala, mas nunca pode contrariar um ensinamento claro da Palavra de Deus (comp. 1 Pe 4.11).

5) De suma importância é se lembrar que Deus unicamente fala a verdade das Escrituras quando elas são interpretadas corretamente.

6) A tarefa do pregador e mestre da Palavra não pode ser outra senão expor e aplicar o que o texto da Bíblia diz.

Fonte: Revista Soma-RJ
_____________________
O Dr. Russell Shedd será um dos preletores do XII Encontro Para a Consciência Cristã, que acontecerá de 10 a 16 de fevereiro de 2010, em Campina Grande-PB

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Efraim pede revisão de decisões judiciais que ameaçam templos religiosos na PB

O senador Efraim Morais (DEM) fez um apelo ao Tribunal de Justiça da Paraíba nesta quarta-feira (7) para que sejam revistas decisões judiciais que determinam a derrubada de igrejas evangélicas e católicas da capital do estado, João Pessoa, construídas em áreas públicas cedidas pela prefeitura.

O caso, de acordo com o senador, chegou a ser discutido em audiência pública na Câmara de Vereadores, com a presença de líderes religiosos. Efraim citou como exemplo o caso da Igreja Evangélica Congregacional, que, de acordo com decisão de 15 de setembro da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, deverá ser derrubada por ter sido construída num terreno onde deveria funcionar uma área verde comunitária.

Efraim explicou que o terreno foi cedido por ato administrativo municipal de 1990. Na ação, o Ministério Público Estadual pediu a anulação do ato, alegando que a concessão desvirtua a finalidade pública.

- Não estamos tratando de terrenos clandestinos. Estamos falando de leis aprovadas pelo Legislativo municipal e sancionadas pelo Executivo, que vigoram há 20 anos. Isso tudo cria uma insegurança jurídica muito grande - disse.

O senador destacou ainda o papel de utilidade pública e de promoção social das igrejas e disse esperar que a questão sensibilize a Justiça de seu estado.

Fonte: WSCOM Online

NOTA DA REDAÇÃO

Fico feliz com esse posicionamento do meu amigo senador Efraim Morais (você, internauta, pode até perguntar: Amigo? Sim, a minha amizade com Efraim Morais é independente de política, de emprego, de tudo. E já faz tempo, heim!!!).

Muito bem. Efraim, em boa hora, vem de público defender uma causa justa, pois, como se sabe, o Ministério Público Estadual pediu a anulação de um ato da Câmara Municipal de João Pessoa, em 1990, que cedeu um espaço para que fosse construída a Igreja Evangélica Congregacional.

Efraim, parabéns por esta iniciativa de sair em defesa da referida igreja.

Bom seria que terrenos fossem doados para que igrejas sérias fossem construídas, pois, como se sabe, uma igreja é um centro de recuperação de vidas a custo social zero.

Pr. Gomes Silva
Jornalista

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Meu Deus, tenha misericórdia!

Em muitos lugares, estão transformando a Casa do Senhor em casa de ninguém

Pr. Gomes Silva
Tem coisa que a gente acredita porque é contada por pessoas de nossa inteira confiança. Um amigo meu, contou-me, hoje, que, em uma de suas andanças por igrejas por este Brasil a fora, viu presepadas que ratificam o desrespeito para com a Obra de Deus. Igrejas, onde membros perderam o temor ao Altíssimo.

Contou-me esse amigo, que chegou em determinada igreja e, pasme, um dos integrantes do grupo de louvor estava todo à vontade, de sandálias ("japonesa"), parecendo mais um desvalido da vida do que com um levita. E o líder da igreja não estava nem aí...

Mas tudo bem... Alguém pode dizer que chinelo não tem nada a ver com salvação, santificação etc. Só que, se essa mesma pessoa fosse conversar com o juiz, com o prefeito, com o patrão; se fosse a uma festa de casamento ou aniversário, com certeza colocaria a melhor roupa, o melhor sapato. E por que cargas dágua para estarem na igreja, cultuando a Deus, essas pessoas acham que pode ser de qualquer jeito? Cadê o testemunho social?

Estão bagunçando a igreja e descaracterizando o Evangelho do Senhor Jesus Cristo.

Pior foi em outra igreja. O culto seguia naquela animação, motivação, canta-canta, e de repente, entra na igreja a mulher do pastor. Até aí nada de anormal se ela não estivesse de bermuda indo e voltando como se estivesse na praça.

Quando fui informado dessas desinformações em alguns setores da comunidade evangélica, fiquei imaginando: O que pensam os que assim procedem e as lideranças que, da mesma forma, esquecem que têm, pela Palavra de Deus, autoridade para evitar que a Casa do Senhor seja transformada numa casa de ninguém (ninguém para adorar verdadeiramente a Deus, ninguém para temer ao Senhor, ninguém para doutrinar o rebanho, ninguém para preparar as ovelhas para o encontro com o Senhor).

Minha gente, se você não foi chamado para dirigir, cuidar biblicamente das ovelhas, entregue o cargo e vá vender bananas, investir numa profissão, fazer um curso profissionalizante. Deus vai se alegrar muito com essa sua atitude do que ficares enganando a si mesmo, achando que está fazendo o “máximo” para o Senhor. Pense nisso: Você está encaminhando muitas almas para o inferno. Infelizmente!
Evangélicos protestantes precisam ser diferente daquilo que é imposto pela sociedade e pelos meios de comunicação. A Bíblia diz em Hebreus 12:14 – “Sem santificação (separação do pecado, das obras da carne etc.) ninguém verá Deus”. Pedro, lembrando o que disse o Senhor em Levítico 11:44, diz – “... Sede santos, porque eu sou santo” – 1 Pedro 1:16. A menos que essas igrejas não estejam ensinando o que significa e como ser santo. Em Oséias 4:6, Deus diz: “O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento”. O a falta de conhecimento do povo é porque os próprios sacerdotes não ensinavam ao povo. Pelo contrário, eles se alimentavam do pecado do povo – Oséias 4:8. Esse versículo tem alguma coisa a ver com algumas lideranças cristãs na face da terra?

Dê sua opinião

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

TV Cultura e descriminalização do aborto

Pr. Gomes Silva

A TV Cultura vem, insistentemente, colocando no ar o documentário “Fim do Silêncio”. Não é uma seqüência de matérias ou de novos fatos. É uma repetição das mesmas entrevistadas. O documentário foi feito unicamente para sensibilizar o povo brasileiro a apoiar a descriminalização do abordo no Brasil. Ou seja, regulamentar o crime de criança no país através do Congresso Nacional, uma vergonha e uma desmoralização para os homens que se dizem sérios e que estão naquela casa como representantes do povo brasileiro.

O documentário, que a TV Cultura diz ser de produção independente (mas com certeza alguém está bancando e a emissora faturando alto; caso contrário, há de se entender que a própria emissora é conivente com o assassinato de inocentes, conforme as depoentes), apresenta várias mulheres, de partes diferentes do país, declarando que já abortaram e que são favoráveis à prática do aborto.

O que tenho visto nesse documentário são pessoas confessando seus crimes e não foram penalizadas. Porque tiraram vidas, são assassinas. E na maior cara de pau, algumas disseram, até, que essa prática tem que ser regulamentada. E o pior de tudo foram as justificativas para a “matança”. Uma mulher chegar a dizer que o aborto é uma questão familiar (ou seja, discutida pelos familiares) e que é contrária ao “que pensa os religiosos”, citando o exemplo do Papa Bento 16, que é contra o aborto. Não é nada de religião, não, dona mulher. É uma questão de vida. A senhora matou uma criança.

Outra, dizendo-se atéia, mas com muita admiração ao candomblé, uma universitária carioca conta no documentário que aos 16 anos engravidou, não queria casar e aí resolveu abortar e para isto pagou 200 dólares (para assassinar). Depois do aborto acabou o namoro e seguiu a vida normalmente, chegando a dizer que não teve nenhum remorso pelo que fez.

Uma cabeleireira paulista, lembrando que o Estado de São Paulo tem mais de 22% de suas adolescências a partir dos 11 anos de idade, grávidas, disse que é preciso que as mulheres das comunidades se reúnam e discutam o aborto, pois muitos se falam contra o aborto, mas quem fala não conhece a realidade vivida pelas mulheres (ou jovens adolescentes).

O pior de tudo é que a mulheres contam detalhes de como mataram as crianças. As formas utilizadas variam. A começar pelo uso do Citotex. E tem até mulher que usou bicarbonato com limão para matar a criança. Ela a receita dizia que era para utilizar bicarbonato com laranja, mas como não tinha laranja, usou limão e o efeito foi de imediato. Essas mulheres, sem vergonha alguma, ainda dão entrevista a TV como se a vida não valesse nada. A Justiça já deveria ter proibido a TV Cultura a exibir essas aberrações, uma apologia ao crime, e convocar essas mulheres para depor e enquadrá-las na Lei.

Senhores deputados e senadores, os senhores têm uma grande responsabilidade para com este país. A de não aprovar a descriminalização do aborto. Se isto acontecer, os senhores estarão contribuindo sobremaneira para o aumento de crimes de crianças no Brasil. Não façam isso!

Os senhores não podem pensar como estão pensando os pró-abortistas. Por maldade ou não, muitos deles pensam erroneamente que o aborto é uma questão “religiosa”. Não é. É uma questão científica, especificamente biológica. As autoridades científicas quanto a quando começa a vida são os biológicos. Mas, via de regra, são os últimos a serem ouvidos quando se trata da busca de respostas para essa questão. O que a ciência concluiu é alto completamente cristalino: A vida começa na concepção. Isso é uma questão de fato científico, não uma filosofia, especulação, opinião, conjectura ou teoria. A evidência de que a ida começa na concepção é hoje um fato tão bem documentado que nenhum cientista ou médico intelectualmente honesto e bem informado seria capaz de negar.

O processo, conforme John Ankerberg e John Weldon, no livro “Os Fatos Sobre o Aborto”, o processo pelo qual uma criança se de desenvolve a partir de uma única celular é miraculoso.

O desenvolvimento humano é um processo contínuo que começa quando o óvulo de uma mulher é fertilizado pelo espermatozóide de um homem. O crescimento e diferenciação transformam o zigoto, uma célula única num ser humano adulto multicelular.

Sabe o que acontecerá no Brasil, caso seja aprovado a Lei de Descriminalização do Aborto? Saiba no próximo artigo sobre o assunto.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

A igreja do século 21: Um Desafio para o pastor sério

Pr. Gomes Silva

Em 1999, portanto há dez anos (por favor, nunca diga há dez anos atrás, isso dói nos ouvidos), li boa parte do livro: O Pastor do Século 21, de David Fisher, que fala justamente sobre os desafios que os pastores iriam enfrentar neste século, claro. E quanto desafio, meu irmão! E não sei aonde chegaremos com tudo isto que está acontecendo no meio evangélico. É um verdadeiro exemplo de como não se deve seguir a Jesus.

Como bem diz David Fisher: A secularização empurrou a igreja para as margens da consciência de nosso País. O relativismo moral, que acompanha uma visão secular da realidade, afeta profundamente a obra da Igreja e o seu ministério. De acordo com a Cristianismo Hoje, 66% dos americanos crêem que não existe a verdade absoluta. E desses, 27% são de jovens entre 18 e 25 anos, que estão dentro das igrejas, se prendendo a uma série de fatos nocivos à fé cristã.

A moda nas igrejas, agora, é: “Não tem nada a ver”. É certamente a resposta mais ouvida dentro das igrejas quando se tenta moralizar a “coisa” desmoralizada pelos liberais, pelos sem-compromissados com a verdade bíblica, pelos “ficadores” ou “ficantes” da vida; pelos aceitadores de tudo. Eles só não querem é viver conforme a Palavra de Deus, que nos exorta a prestar um culto racional ao Senhor (em todo o tempo, grifo meu), apresentando o próprio corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus (Rm 12:1-2), longe das obras da carne (Gálatas 5:19-21) e sim, vivendo conforme o fruto do Espírito: Amor, alegria, paz, fidelidade, mansidão... (Gálatas 5:22-24).

Hoje, a maioria dos que estão dentro das igrejas só quer fazer o que acha que deve fazer. Não se respeita mais pastor, o anjo da igreja, não se respeita mais os mais velhos; não quer mais louvar hinos belíssimos da Harpa muito menos do Cantor Cristão. Além disso, para uns o culto deve ter pelos menos 90% de louvores, 5% de palavra, 3% de oração e 2% para outras coisitas mais. Um absurdo. E tem mais: Já vi em muitas igrejas, que, enquanto estar-se louvando, a igreja se anima, pula, é um verdadeiro carnaval fora de época e de lugar. Mas quando se diz: “Vamos ouvir a Palavra de Deus”, os primeiros que saem são os próprios tocadores. Uns vão conversar lá fora da igreja, outros vão embora pra casa ou para o shopping. Outros começam a botar os papos em dia – em plena pregação. Outros começam a abrir a boca, outros vão para o banheiro, e dá uma sede desgraçada. Até parece que comeram carne de cururu (rsrsr), como diria minha amada mãe.

Tem mais. Em algumas igrejas, existem os seminaristas (nada contra seminaristas, mesmo porque eu também sou um deles), que vão ao seminário, assistem duas ou três aulas e chegam à igreja achando que já são teólogos. Alguns são humildes – isso é verdade -, e ficam esperando uma oportunidade. Outros, não. Eles ficam no banco prestando a atenção nas “furadas” do pregador para depois alfinetá-los por aí afora. E tem aqueles que vão afrontar pastores, dizendo-lhes que estão “fora”.

Tudo isto é desafio para os pastores neste século. E não sabemos até quando isto vai perdurar. De uma coisa tenho certeza: Muitos líderes terão que ter coragem para cumprir o que diz Atos 5.29: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens”.

Infelizmente, alguns pastores (desculpem-me pelo que vou escrever, mas é a verdade), são culpados por isso. Eles preferem deixar a ovelhinha de todo jeito na igreja, não reclamar (porque senão ela vai achar ruim. E daí?); não cortam os males pela raiz; deixam-na viver como querem, pois o importante é número. Pastor, querido! Eu acho que o senhor está no lugar e no cargo errados. Como é que o senhor vai entregar essas ovelhas ao Todo-Poderoso, quando ele pedir contas?

Pastor, sofra conseqüências e sofra humilhação, como tenho sofrido e pago alto preço pela minha postura. Não importa o que digam do amado, mas uma coisa tenha em mente, o que disse o apóstolo Paulo a Timóteo: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes” (1 Timóteo 4:16 – veja os versículos de 11-15).

Em parte, essa bagunça em certas igrejas (pois não são em todas), é culpa dos líderes que passaram e que deixaram a “herança”; e dos atuais, que não querem perder status. Além disso, pensam “grande”. Em grandes rebanhos e em “grandes colheitas”. E para que isto aconteça, seja da forma como todos quiserem. Mesmo que a igreja seja fragilizada em adoração (em espírito e em verdade), em Palavra(2 Tm 3:15-17), em poder (Atos 1:8; e 3:1-10), em santificação (Hb 12:14; 1 Tes 5:23)...

E sabem quem está sofrendo? Aqueles humildes pastores que lutam desesperadamente para manter a ordem na casa. São chamados de velhos, de ultrapassados, de ditadores, de maneca; e acusados de não estar na era da modernização. Eles é que estão certos. E eu assino em baixo.

Pastor Gomes Silva
Trinitariano, sim, senhor!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Ação da maldade

Gomes Silva

A maldade continua imperando em todos os sentidos. Ela está presente no coração do homem (e mulher) e deixando sua marca na história das estatísticas da AIDS no mundo. Não escolhe pessoa, sexo ou idade. Exemplo disso vem acontecendo na cidade de Alagoa Grande-PB, cidade com alto índice de soropositivos. Uma jovem, que vamos chamá-la de “Maldade”, à beira da morte, afirmou que estava “indo”, mas estava levando mais 17 jovens com ela.

Ou seja, caro leitor, ela sabia que estava com o vírus da AIDS, mesmo assim continuou saindo com um e com outro, com a intenção única de contaminá-los. E assim a cidade tem inúmeros jovens infectados.

Ontem, ao visitar um cidadão muito conhecido na cidade, que vamos chamá-lo de “Zominha”, fomos informados que o número de aidéticos em Alagoa Grande, sem constar no registro nas estatísticas, é praticamente o equivalente ao que é do conhecimento público.

DADOS - De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde, desde 1985, quando a Paraíba registrou o primeiro caso de Aids, até julho deste ano, foram notificados 3.152 casos da doença sendo 3.080 em adultos e 72 em crianças. Ainda segundo a SES, 2.190 casos foram diagnosticados em homens e 962 em mulheres.

Sei que em 2007, Alagoa Grande integrou o número de cidade do Estado, que recebeu profissionais da Gerência Operacional das DST/AIDs na Paraíba, com o objetivo de Capacitar e promover alternativas para a ampliação do acesso ao diagnóstico da infecção pelo HIV e aumento da cobertura das ações de assistência a população vivendo com HIV e Aids. Só não sei qual foi o resultado final desse trabalho, que teve o apoio do Hospital Universitário Lauro Wanderley, de João Pessoa.

Ainda de acordo com “Zominha”, pessoas do high society local são soropositivos. Porém, mantém-se no anonimato, com medo da discriminação. Muitos casos, no entanto, ainda não levaram os portadores do HIV AIDS a tomarem os coquetéis.

O pior de tudo é que, por causa de “Maldade”, muitos jovens talvez nem saibam que são portadores do vírus, já que tem um tempo para a sua manifestação. Alguns sabem, porém resolvem se isolar.

Isso é terrível e preocupante!

Comente essa matéria

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Veneziano? tá na hora de repensar seu governo

Gomes Silva

Se depender dos peemedebistas, principalmente os campinenses, o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo Filho (foto), renunciará ao cargo para concorrer uma cadeira do Senado Federal. Pelo menos foi o que deixou claro o vereador e líder do prefeito na Casa de Félix Araújo, Fernando Carvalho, durante entrevista à Rádio Campina FM.

Na realidade, Veneziano deveria estar mais preocupado com a sua administração, que precisa melhorar muito neste segundo mandado. Torço muito para que ele cesse as críticas ao seu atual governo. E tem o nosso apoio. De todos os habitantes de Campina.

Por quê? Porque entendo, Veneziano, que enquanto você estiver trabalhando, voltado para seus munícipes, certamente o reconhecimento do povo de Campina e da Paraíba estará garantido. Seja qual for o cargo que vier a concorrer daqui por diante.

É aquela coisa: Se alguém quer ter o retorno de outrem, precisa fazer primeiro a sua parte. Parte esta que às vezes acontece de forma repartida. Uma ontem, outra hoje, outra amanhã. E assim, alargam-se as fronteiras do reconhecimento e da gratidão.

Em tempo, meus parabéns ao vereador Fernando Carvalho, que tem sido um braço pra lá de forte e importante do prefeito Veneziano, não só na Câmara, mas em todas as demais circunstâncias de seu governo.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Excelente para você evangelizar

--- PRESTEM BEM ATENÇÃO NA ÚLTIMA FRASE...AS VEZES LAMENTAMOS POR ALGO QUE ESTÁ DANDO ERRADO....MÁS TUDO TEM UM PROPÓSITO DE DEUS!!



JESUS CRISTO

Não teve nenhum empregado, no entanto chamaram-no Soberano.

Não teve nenhum diploma, no entanto chamaram-no professor.

Não tinha nenhum medicamento, no entanto chamaram-no Doutor.

Não teve nenhum exército, no entanto os reis temeram-no.

Não ganhou nenhuma batalha militar, no entanto conquistou o mundo.

Não cometeu nenhum crime, no entanto o crucificaram.

Foi enterrado num túmulo, no entanto vive hoje.

Sinto-me honrado por servir tal chefe que me Ama!

Se você crê em Jesus Cristo, envie isto há todos os seus conhecidos e não simplesmente ignore.

Se ignorar, lembre-se exatamente o que Jesus disse:
'Se me negar na frente dos homens, negá-los-ei na frente do meu Pai no céu'.

'Às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo'.
Enviado pelo Pr. Costa Filho - Parnaíba/PI

terça-feira, 15 de setembro de 2009

VALE A PENA CONFERIR

http://www.sociedadecg.blogspot.com/

http://www.independente-cg.zip.net/

http://www.vinacc.org.br/

http://www.topgospel.com.br/

Terça-feira para refletir

Pr. Gomes Silva

Aprendi uma coisa: A gente só dá aquilo que tem. Às vezes esperamos muito de uma pessoa quando, na realidade, ela nunca procurou ser aquilo que se espera dela. Senão vejamos:

* Se uma pessoa não aprendeu os ofícios da obediência – será sempre desobediente;

* Se uma pessoa não aprendeu como ser educada – será sempre mal-educada;

* Se uma pessoa não se esforçou para ser moldada pela humildade – será sempre orgulhosa etc.;

* Se uma pessoa não aprendeu como ser carinhosa – vai ser sempre uma pessoa desprovida do carinho para com alguém;

* Se uma pessoa não aprendeu a enfrentar os obstáculos da vida – estará sempre dependendo de alguém para viver;

* Se uma pessoa não conseguiu crescer na vida – vai ser sempre ciumenta de quem trabalhou e cresceu na vida;

* Se uma pessoa não conhece o que é respeito – vai ser desrespeitosa;

* Se uma pessoa nunca se interessou pelo estudo, pela leitura – vai ser sempre analfabeta;

* Se uma pessoa não se esforçou para aprender o que é ética – vai se sempre antiético;

* Se um líder nunca procurou aprender as regras básicas do ofício - vai continuar sendo um péssimo líder. Não deveria nem prosseguir;

* Se uma pessoa não dá ouvidos para o que é bom – sua mente vai estar sempre conturbada quando surgirem as ótimas oportunidades.

* Se um homem ou mulher não ainda não entendeu a responsabidade do casamento - vai ser sempre irresponsável (se não procurar ajuda dos mais experientes, claro).

Palmas...

... Para quem nasceu, cresceu enfrentando desafios e venceu na vida pela capacidade de superar os fracassos que ficaram para trás;

... Para quem sempre acreditou e acredita que os fracassos do hoje servem de ensinamentos para aperfeiçoar o trabalho do amanhã.

Que os tópicos acima possam lhe ajudar a mudar alguma coisa na sua vida a partir dessa leitura.

sábado, 12 de setembro de 2009

Périplo pela Capital das Acácias

Hoje, estive em João Pessoa cumprindo agenda de atividades ligadas ao Encontro Para a Consciência Cristã. Estive no Gabinete Civil do Governador José Maranhão. Depois fui ao Tribunal de Justiça do Estado, Câmara de Vereadores, Prefeitura da Capital e Assembléia Legislativa.

Em todos os lugares que cheguei fui muito bem recebido. E, o que é melhor, revendo velhos amigos e companheiros de trabalho na esfera governamental estadual.

Dois fatos me chamaram a atenção e que muito me alegraram.

1) Na Prefeitura de João Pessoa encontrei uma sala reservada para cultos e orações. Os funcionários, ao chegarem, podem ir direto para a sala orar e depois começaram. O que me garantiu a funcionária Ismina

2) Quando fui saindo da Assembléia Legislativa, ia entrando dona Lúcia Braga, com quem não falávamos havia uns 10 anos. Ela parou, pensou e eu falei diante da dúvida dela: A senhora está com dúvida? Sou eu mesmo, Gomes Silva, sim, lá de Picuí. Ela fez um sorriso, riu e continuamos a conversa por pouco tempo, já que ela ia às pressas participar de uma Sessão Especial na Casa de Epitácio Pessoa, quando seria (como foi) sabatinada pelos deputados quanto ao trabalho desenvolvido por ela à frente da Fundação de Ação Comunitária - FAC.

Realmente, vi que a ex-deputada federal não me esqueceu apesar do tempo do nosso último contato.

Lúcia Braga tem uma história política marcada pelo trabalho junto às camadas mais carentes do Estado, sobretudo na periferia da Capital. E para ela e para o seu esposo, o ex-governador Wilson Braga, trabalhamos por vários anos, integrando à equipe do ex-prefeito de Picuí, Severino Pereira Gomes.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O CANSAÇO INERENTE À LUTA

Antônio Carlos Costa

Recentemente participei nos EUA de uma conferência sobre plantação de igrejas. Um dos palestrantes falava sobre a importância do pastor se cuidar. Mencionando seu próprio exemplo, ele falou sobre suas horas de sono - oito por dia - e das vitaminas que tomava, entre outros exemplos mais.

Essas recomendações são sempre úteis. Não podemos submeter nossa vida a desgastes inúteis que resultam da nossa busca por um desempenho que impressione os outros, ou arruinar-nos fisicamente por causa de um ministério movido a culpa.

Há momentos de nossa vida, contudo, que essa agenda metódica em extremo e vida que não se desgasta são frutos de muita preguiça, falta de discernimento das oportunidades da vida e ausência de amor sacrificial.

A preguiça tem sempre os conselhos mais sábios para nos dar, capaz até mesmo de chamar a busca por uma zona de conforto pessoal de "agenda equilibrada". Pessoas preguiçosas sempre terão justificativas para dar para o seu medo de trabalho duro: "Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas" (Pv 22:13).

A falta de percepção do momento exato em que a providência divina nos dá sinais eloquentes de que nos chama para realizarmos algo especial para o Reino de Deus, tem feito com que muitos não se esforcem para alcançarem aquilo que sem luta, perda de horas de sono e foco não se alcança jamais. Não acredito que seja possível realizarmos algo de significativo nessa vida, capaz de redundar em salvação em algum nível para a vida de muitos, sem trabalho que nos leve em alguns momento à exaustão. Veja combatentes em tempo de guerra, atletas que se preparam para alguma competição especial e lavradores que se antecipam às ameaças do mau tempo.

Por fim, a incapacidade de relacionarmos perda pessoal a amor tem feito com que muitos vivam uma vida onde o serviço ao próximo vai até ao ponto em que tal espécie de vida não interfira no conforto pessoal - negação completa do modelo de vida que observamos em Cristo.

Em suma, nada contra uma vida metódica e bem disciplinada. Porém, não conheço uma biografia de sucesso em que a luta por um sonho não tenha exposto a vida a desgastes e riscos.

"Nós somos loucos por causa de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós nobres, e nós desprezíveis. Até a presente hora sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa, e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos" ( I Co 4: 10-11).
_______________________________
Antônio Carlos Costa é um dos palestrantes do Encontro Para a Consciência Cristã, que realizamos durante o carnaval em Campina Grande-PB.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Adultério e suas penalidades

Conforme o uso da palavra na Bíblia, geralmente o adultério refere-se a relações sexuais voluntárias de uma pessoa casada com alguém do sexo oposto que não é seu cônjuge, ou, durante o tempo em que a Lei mosaica vigorava, tais relações sexuais de qualquer homem com uma mulher casada ou noiva. A raiz hebraica que significa “cometer adultério” é na’áf, ao passo que seu equivalente grego é moikheúo. — Ez 16:32 n.; Mt 5:32 n.

Certas sociedades primitivas permitem relações sexuais livres dentro da mesma tribo, mas a promiscuidade fora dos vínculos tribais é considerada adultério. Sobre a história do adultério, Funk & Wagnalls Standard Dictionary of Folklore, Mythology and Legend (Dicionário Padrão de Folclore, Mitologia e Lendas, de Funk e Wagnalls, 1949, Vol. 1, p. 15) diz: “Ele ocorre em todas as partes do mundo, e embora seja considerado repreensível por muitas culturas, tem usufruído considerável popularidade em todas as culturas e em todas as épocas.” Monumentos atestam a sua prevalência no antigo Egito; a esposa de Potifar, que propôs a José ter relações sexuais com ela, era tal egípcia. (Gên 39:7, 10) Tanto historicamente como no presente, em geral, o adultério é proibido, mas raras vezes se impõem penalidades.

A lei de Jeová separava Israel e elevava a condição moral do casamento e da vida marital a um nível muito mais elevado do que o das nações circunvizinhas. O sétimo mandamento do Decálogo declarava em linguagem direta, inequívoca: “Não deves cometer adultério.” (Êx 20:14; De 5:18; Lu 18:20) A invasão adúltera do domínio de outro homem era proibida, assim como eram outras formas de má conduta sexual.

Sob a lei de Moisés, a penalidade para o adultério era severa — a morte de ambas as partes culpadas: “Caso um homem seja encontrado deitado com uma mulher que tenha dono, então ambos têm de morrer juntos.” Isto se aplicava até mesmo à mulher prometida em casamento, considerando-se que ela cometera adultério se tivesse tido relações sexuais com um homem que não era aquele de quem era devidamente noiva. (De 22:22-24) Se se suspeitasse adultério da parte da esposa, ela tinha de ser julgada. — Núm 5:11-31.

Os cristãos, embora não sob a Lei mosaica, também precisam refrear-se do adultério. “Pois o código da lei: ‘Não deves cometer adultério’, . . . está englobado nesta palavra, a saber: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’” Não pode haver nenhuma hipocrisia neste assunto. (Ro 13:9; 2:22) Ao ensinar princípios bíblicos, Jesus elevou ainda mais o padrão moral para os cristãos. Ele ampliou a questão do adultério, dizendo que este não se limitava ao contato sexual de um homem com uma mulher que não fosse seu cônjuge: “Todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela.” Tais homens acham-se entre aqueles que “têm olhos cheios de adultério”. — Mt 5:27, 28; 2Pe 2:14.

Jesus salientou também que, se quer o marido quer a esposa obtivessem divórcio, a não ser por motivo de fornicação (gr.: porneía), o novo casamento de qualquer um deles constituiria adultério. Mesmo o solteiro que tomasse por esposa tal mulher divorciada seria culpado de adultério. — Mt 5:32; 19:9; Mr 10:11, 12; Lu 16:18; Ro 7:2, 3.

Adulterar é “realmente pecar contra Deus”. (Gên 39:9) Yehowah julgará os culpados de adultério, e ninguém que persistir em tal proceder ‘herdará o reino de Deus’. (Mal 3:5; 1Co 6:9, 10; He 13:4) Quão verdadeiro é o provérbio: “Quem comete adultério com uma mulher é falto de coração; quem faz isso, arruína a sua própria alma.” — Pr 6:32-35.

Como poderia alguém tornar-se culpado de adultério espiritual? Em sentido espiritual, o adultério denota infidelidade a Yehowah por parte dos que estão ligados a ele por meio dum pacto. Por conseguinte, o Israel natural, que estava no pacto da Lei, era culpado de adultério espiritual, devido às práticas religiosas falsas, algumas das quais incluíam ritos de adoração do sexo e a desconsideração do sétimo mandamento. (Je 3:8, 9; 5:7, 8; 9:2; 13:27; 23:10; Os 7:4) Por razões similares, Jesus denunciou como adúltera a geração dos judeus de seus dias. (Mt 12:39; Mr 8:38) Semelhantemente hoje, se os cristãos que se dedicaram a Deus e que estão no novo pacto se maculam com o atual sistema mundial de coisas, eles cometem adultério espiritual. — Tg 4:4.

Enviado por Márcio Melânia

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Elba Ramalho diz por que é contra o aborto

"Apoiar a morte seria uma contradição para quem quer seguir a Cristo". Com esta afirmação a cantora Elba Ramalho explica sua participação na Marcha Nacional da Cidadania pela Vida, liderada pelo Movimento Brasil Sem Aborto, no último domingo, 30. O evento reuniu cerca de três mil pessoas em Brasília (DF) e contou com a presença de seguidores de várias religiões, artistas, juristas, jornalistas e adeptos da causa em defesa da vida.

Fonte: Canção Nova




























quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A crise litúrgica do evangelicalismo brasileiro

Antônio Carlos Costa
http://palavraplena.typepad.com/

As igrejas evangélicas brasileiras estão passando por uma crise litúrgica. Digo isso, em razão da minha própria experiência pessoal ao viajar pelo país nos últimos anos atendendo a convites de pregação - em raríssimas ocasiões pude participar de um culto que julgasse estar à altura da beleza do evangelho que anunciamos e da majestade do Deus a quem adoramos.
O que está errado com a nossa liturgia?

1. Pastores mal preparados teológica e intelectualmente trazem para milhares de almas ávidas pela verdade mensagens carentes de conteúdo, desprovidas de originalidade e pobres de aplicabilidade. Um desperdício quase que sem paralelo na história do cristianismo - milhares e milhares de homens e mulheres que poderiam ter suas vidas transformadas para sempre pela pregação, perecendo sob púlpitos carentes de fogo (poder) e luz (teologia).

2. Músicos que falam mais do que o pregador, cantando canções de conteúdo fraco e melodia pobre.
3. Som excessivamente alto, acompanhado de falhas e ruídos insuportáveis.

4. Arquitetura feia, paredes descascadas, acústica péssima, iluminação de escritório (as terríveis lâmpadas fluorescentes) e muito calor. Nossos templos são um horror.

5. Muita dança, barulho, coreografia e pouca Bíblia.

6. Muita atividade humana e pouca presença divina. Nossos cultos estão carentes de transcendência.

7. Culto longos - com extensão de tempo somente aprazível em períodos de avivamento e grande graça de Deus na igreja - só que não estamos passando por nenhum pentescoste e grande parte do tempo é desperdiçada em avisos longos, piadas fora de hora e homenagens a gente que ameaça sair da igreja se não for tratada com deferência..

8. Impontualidade. Tanto quanto ao início da culto quanto ao encerramento.

9. Liturgia orientada sociologicamente (leis do mercado religioso), em vez de regulada teologicamente (Deus sendo adorado segundo a norma da sua Palavra). Os bodes são entretidos e as ovelhas são subalimentadas. Idolatria não é só adorar a um Deus falso, significa também adorar o Deus verdadeiro de modo oposto ao prescrito pela Escritura Sagrada.

10. Falta de lágrima. Não há espanto, senso de maravilha e batismo com o Espírito Santo. Em algumas igrejas, o formalismo que apaga o Espírito - o medo de avivamento e preocupação com respeitabilidade - em outras igrejas, a informalidade que melhor expressa a falta de temor de Deus do que intimidade com o Criador acompanhada de grande compreensão da liberdade que temos em Cristo.

Não sei como as pessoas voltam para as suas igrejas domingo após domingo. É um mistério. O crescimento da igreja no Brasil é algo que se dá sem relação com a qualidade das nossas igrejas. Tenho conhecido pessoas nesses últimos dias que não consigo imaginar participando da maioria dos cultos evangélicos do nosso país. Elas nos teriam como loucos.

O propósito desse artigo não é desencorajar, pois reforma e avivamento são sempre possíveis. Podemos retornar à verdadeira doutrina que regula o verdadeiro culto cristão (reforma). Podemos voltar à verdadeira vida cristã que pode resultar do derramamento do Espírito Santo sobre a vida de vários crentes ao mesmo tempo (avivamento) . Aí o culto vai ser longo e poderá até mesmo não ter hora para terminar - não porque ficamos friccionado as pedras do altar para produzirmos o fogo que é fruto da engenhosidade humana, mas porque algo veio de cima para baixo e tomou a todos, enchendo-os de alegria indizível e cheia de glória.

O espírito desse texto não é rancoroso. Quando falo de igreja que visitei, falo de gente que por me amar me convidou para pregar o evangelho. O que me traz pesar é ter que num culto em que participo, abstrair-me de tudo o que está acontecendo, fazendo minha liturgia pessoal, para não perder meu tempo em reuniões que não edificam. Fico atônito por saber que, muita gente que conheço, dificilmente não se sentiria intelectualmente desrespeitada caso visitasse a maioria das nossas igrejas, pois parece que, nós pastores, julgamos que quem participa de um culto evangélico só pode ser um idiota - caso contrário não trataríamos como tal quem visita a nossa igreja para encontrar resposta para os dramas da existência.

A reforma litúrgica das nossas igrejas é mais urgente, acima de tudo, por causa da beleza do evangelho que pregamos e majestade do Deus a quem cultuamos. Não podemos emitir nota dissonante em nossos cultos - por um lado afirmar que estamos ali para ouvir uma mensagem sublime e adorar um ser cuja imensidade não pode ser contida pelo céu dos céus, e, por outro lado, participarmos do culto como se estivéssemos reunidos para ouvir uma mensagem banal e adorar uma divindade qualquer do paganismo.

Por isso, a Palavra de Deus, através da pena do apóstolo Paulo, nos adverte: "Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação... tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14: 26, 40).
_______________________________________
Antônio Carlos Costa é presidente da ONG Rio de Paz e preletor do Encontro Para a Consciência Cristã, que acontece todo ano no período do carnaval em Campina Grande-PB.