sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Nova temporada de “Ó Pai, ó” terá pastor roubando dízimo

A Globo deu início, em Salvador, às filmagens do seriado “Ó Paí, Ó”, que traz, entre os personagens da temporada, um pastor que desvia dízimos de evangélicos em seu benefício.

As gravações, iniciadas na semana passada, acontecem em meio a uma guerra com a Record, após extensas reportagens sobre denúncia acatada pela Justiça envolvendo a Igreja Universal do Reino de Deus.

“É um texto visionário, uma coincidência de que só fui me dar conta realmente ontem [anteontem], quando estava filmando. Mas isso foi escrito em abril e deve ser encarado como uma brincadeira, como também brincamos com as novelas da Globo e com o candomblé”, explica a diretora-geral da série e do filme homônimo, Monique Gardenberg (”Benjamim”).

A Globo diz, por meio de sua assessoria de imprensa, que “‘Ó Paí, Ó’ é uma produção independente que precisou de meses para preparação de roteiro e que esse trabalho antecedeu, e muito, as denúncias. Tentar fazer qualquer correlação de sua trama com os fatos que estão no noticiário é tirar completamente de contexto a proposta da série e de seus personagens”.

Depois de ter virado evangélico na última temporada, o personagem Queixão, interpretado por Matheus Nachtergaele, decide fundar a Igreja Evangélica do Tremor Divino. O nome faz referência à ameaça de desabamento do cortiço onde os personagens vivem, tema desta segunda temporada.

De acordo com o roteiro assinado por Guel Arraes, João Falcão e Adriana Falcão, o malandro Queixão, que se tornou o pastor Moisés, passa a desviar parte dos dízimos pagos pelos fiéis em benefício próprio.

“O mundo conspira com assuntos que estão no ar. Mas temos tentado fazer uma coisa livre, divertida”, afirma Nachtergaele. Anteontem, a reportagem acompanhou a gravação de uma cena na qual Queixão tenta expulsar, armado, um pastor concorrente para não precisar dividir os dízimos.

“A série foi escrita antes das notícias, mas já tratávamos disso com Joana [personagem evangélica interpretada por Luciana de Souza]. Sobre os dízimos, não fui eu quem escreveu, então é melhor você perguntar para quem escreveu”, afirmou o ator Lázaro Ramos.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com os autores até o fechamento da edição.

Fonte: Folha

NOTA DA REDAÇÃO

Essa notícia me deixou com a pele nervosa, fervorosa, intrigante e na condição de um abandonado. A Globo, com sua ira tirana da Igreja Universal do Reino de Deus, inventa de incluir em um de seus piores programas, o personagem de um pastor roubando dízimos. Isso é uma esculhambação, ódio e uma perseguição na tentativa de descredibilizar os homens a quem Deus confiou o ministério pastoral.

Não temos nada com a briga de audiência entre a Globo e a TV Record muito menos com a intriga ferrenha da Família Marinho com o senhor Edir Macedo, líder da Igreja Universal.

É chegada a hora da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil - OMEB, mostrar a sua "cara" e o seu papel na defesa de seus associados.

Os pastores brasileiros não podem ser penalizado com uma ação diabólica da Globo, que tenta desmoralizar a classe de Ministros do Evangelho por conta de sua briga com a IURD.
Chega, Globo, de nos perseguir.

Gomes Silva - DRT/PB Nº 1048
Pastor e jornalista
Campina Grande - PB

Marcha para Jesus deve reunir mais de 5 mil fiéis

Neste sábado, 22, a partir das 15h00, acontece nas ruas João Passos e Amando de Barros, a ‘Marcha com Jesus’, organizado pelo Conselho de Pastores, instituição que reúne mais de 20 denominações religiosas evangélicas seculares e pentecostais.

Os organizadores esperam reunir cerca de mil pessoas na Marcha e outras 5 mil em um inédito “culto-show” na Praça do Paratodos, logo após o encerramento da Marcha.

A concentração da manifestação religiosa será no início da tarde, na Praça do Paratodos e por volta das 15h30 os evangélicos sairão em caminhada pela rua João Passos, descem a Campos Salles e entram na Amando de Barros, encerrando a manifestação novamente no Paratodos.

A Marcha com Jesus está completando 13 anos em Botucatu e neste, haverá cerca de 10 horas seguidas de eventos, intercalando orações, depoimentos e shows, com foco especial para a pastora e cantora carioca Ludmila Ferber, por volta das 18 horas.

De acordo com a Secretária do Conselho de Pastores, Lílian Galvão, há 2 anos a presença de Ludmila é esperada pelos fiéis. A Praça do Paratodos receberá infra-estrutura adequada para receber o público evangélico, com praça de alimentação, parque de diversão, auxílio médico e seguranças.

Fonte: Entrelinhas.com

NADA PODE SER OCULTADO

Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. (Eclesiastes 12:14)

Um navio levando uma carga de contrabando, avistou um barco do governo em seu caminho. O capitão chamou seus homens para lançar o produto ao mar. Eles fizeram isso, mas para seu desânimo, uma longa linha de caixas flutuou expondo mais facilmente a sua culpa do que se eles as tivessem deixado onde estavam. O pecado não afunda. Ele não pode ser escondido de Deus.

Às vezes, passamos mais tempo de nossa vida tentando ocultar fatos que julgamos impedir nossa felicidade do que buscando alcançá-la. Uma situação enfrentada no passado, uma decepção em relação a um amigo ou parente, uma frustração por um alvo não atingido, um pecado que, apesar de já ter passado muito tempo, teima em nos atormentar.

Guardamos tudo a sete chaves, no porão do navio de nossa vida, temendo sempre que num determinado momento ou circunstância, alguém o possa descobrir. Tudo isso em vão, porque não há nada que possa ser encoberto para sempre, e a única coisa que conseguimos, quando agimos assim, é jogar fora a possibilidade de sermos felizes.

Quando depositamos todos esses fardos, que pesam sobre nossas costas, aos pés de Jesus, Ele nos compreende, nos trata com amor, perdoa o que tem que ser perdoado, e aí, sim, envia tudo para o mais profundo do mar. Só Ele pode afundar nossos pecados para sempre!

Que sua felicidade não esteja oculta, mas totalmente visível na presença de Jesus!

Por: Paulo Roberto Barbosa

Enviado por: Manoel Basílio - Campina Grande