sábado, 7 de março de 2009

A dura realidade de um abandonado

Pr. Gomes Silva

Acordei, hoje, colocando-me na posição dos excluídos, dos abandonados, dos rejeitados, dos esquecidos... ah, que coisa horrível!

Senti-me como se dentro de mim tivesse um pouco da aflição enfrentada por Jó (19:18-19). Foi quando vi quão grande tristeza é ser esquecido pelos que sempre estiveram ao seu lado, daqueles a quem tanto dedicou sua vida, dos muitos que não aceitam mais as suas idéias...

Além disso, cadê as pessoas que abraçavam, que elogiavam, incentivavam? Os convites para grandes banquetes, para os belos passeios? Nada disso existe mais na vida de um rejeitado. Ah, como isto é horrível.

Tenho pena de ver tantos caídos e ainda sendo apedrejados pelas injustiças desta vida. A Alma me dói quando vejo pessoas inteligentes tendo suas excelentes idéias castradas pelas mentes insanas.

A conclusão é minha. Contudo, pior é para quem está vivendo essa realidade.

Todavia, meu conselho é o de que, cada pessoa que esteja vivendo tais circunstâncias apegue-se a Deus, assim como fez Jó – 19:25 “...Eu sei que o meu Redentor vive e que por fim se levantará sobre a terra (...) ainda em minha carne verei a Deus”