segunda-feira, 28 de julho de 2008

Quatro Aspectos do Uso Inconsequente da Língua

Robson T. Fernandes

No Brasil, travestida da preocupação com a verdade, a fofoca ganha especial notoriedade através de programas de TV que se ocupam apenas em investigar e transmitir as mais novas notícias da vida de pessoas famosas. Há muito tempo a sociedade tem sido treinada na arte da fofoca, sem perceber, e hoje isso tornou-se algo normal.
As definições, encontradas no Direito, para fofoca são as seguintes:
- Calúnia é um termo que vem do latim, calumnia, engodo, embuste
(Acusar do crime)
- Difamação (do latim diffamare) significa desacreditar, sendo um crime que consiste em atribuir a alguém fato ofensivo à sua reputação de pessoa fiel à moralidade e aos bons costumes.
(Desacreditar alguém)
- Injúria (do latim injuria) significa ofender, verbalmente, por escrito, ou fisicamente (injúria real), a dignidade ou o decoro de alguém. A injúria ofende o moral, abate o ânimo da vítima, ao passo que a calúnia e a difamação ferem a moral da vítima.

Certa vez, Platão disse o seguinte: “Os sábios falam porque têm algo a dizer; os tolos, porque têm de dizer algo". Isso é uma grande verdade. Bom seria que ocupássemos a nossa mente com coisas frutíferas. Assuntos produtivos que cooperassem para a edificaão.
Com relação a fofoca, acho conveniente citar o psiquiatra José Ângelo Gaiarsa, que afirmou que:
1. As mulheres são mais fofoqueiras.
2. Quando alguém se refere a uma pessoa de forma negativa, inconscientemente, pode ter as características de quem está falando.
3. "a fofoca é a forma mais eficaz de as pessoas se vigiarem para manter o status da perseguição de todos contra todos".

Dizem que a fofoca é algo que se propaga com a velocidade do som, já que ela vai de ouvido em ouvido. Afirmam que ela tem a força dos ventos e o poder destrutivo de um terremoto, já que pode arrastar tudo o que você tem e deixar um rastro de destruição.
É através de fofocas que muitas vezes altas ou quedas são provocadas nas bolsas de valores. É através dela que homens e mulheres de boa reputação sofrem ataques em organizações, empresas, entidades e igrejas.
As fofocas são como um vírus capaz de infectar e contaminar um grupo se alastrando rapidamente, corrompendo os bons costumes, estragando os relacionamentos, destruindo a capacitação profissional, impedidno o crescimento pessoal e espiritual.

“Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal
e evite que os seus lábios falem dolosamente.”
1 Pe 3:10

“A fofoca é o mais desprezível dos vícios; pois, por não poder influenciar o espírito e o caráter dos sábios, rasteja como uma serpente venenosa e refugia-se na alma dos fracos, tolos e ociosos”
Anônimo

Quando usamos a língua, a usamos para bem ou para o mal? A santidade deve envolver todo o ser, inclusive o falar.
A fofoca é denominada, também de mexerico, intriga e bisbilhotice. A isso, a Bíblia os diz:

Lv 19:16
“Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo teu próximo. Eu sou o SENHOR.”

Pv 11:13
“O mexeriqueiro descobre o segredo, mas o fiel de espírito o encobre.”

Pv 20:19
“O mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios.”

1 Tm 6:20
“E tu... evitando os falatórios inúteis...”

2 Tm 2:16
“Evita, igualmente, os falatórios inúteis e profanos, pois os que deles usam passarão a impiedade ainda maior...”

Tg 1.26
“Alguém está pensando que é religioso? Se não souber controlar a língua, a sua religião não vale nada, e ele está enganando a si mesmo.”

Um dramaturgo romano, Plauto, escreve em uma de suas peças: "Os que propalam a calúnia e os que a escutam, se prevalecesse minha opinião, deveriam ser enforcados, os primeiros pela língua e os outros pela orelha".

Afirmativas como "onde há fumaça há fogo", em verdade são armas utilizadas pelos caluniadores. O correto é: "onde há fumaça há um caluniador".

A fofoca é denominada, também de calúnia, que é uma falsa imputação a alguém de um fato. No Direito é caracterizado como crime. A isso, a Bíblia os diz:

2Tm 3.1-3
“Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas... desafeiçoados... caluniadores...”

Tt 3. 2
“Aconselhe que não falem mal de ninguém, mas que sejam calmos e pacíficos e tratem todos com educação.”

Sl 50. 20
“Estão sempre acusando os seus irmãos e espalhando calúnias a respeito deles.”

A fofoca é denominada, também de difamação, que é o ato de tirar a boa fama ou crédito de alguém. A isso, a Bíblia os diz:

2Tm 3.1-5
“Nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes.”

Tg 4.11
“Meus irmãos, não falem mal uns dos outros.”

1Pe 2.1 “Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas.”

Sl 101.5
“Destruirei aqueles que falam mal dos outros pelas costas...”

Pv 16:28
“O homem... difamador separa os maiores amigos.”


O fofoqueiro, em geral, é um mentiroso.
Barry Eigen, escritor da área de administração, diz que: "Confiança é a chave. É a crença na lealdade de outra pessoa. É a fé em sua capacidade de pensar e em seu julgamento, sabendo por antecipação que seu comportamento será sempre adequado, em qualquer circunstância. É ter certeza da integridade e da ética do outro, é sentir-se tranqüilo, quando a pessoa assume o comando. Significa ainda, poder contar com ela, tendo a certeza de que as situações difíceis serão tratadas de maneira correta, racional, pronta e eficiente. Enfim, confiar é ter segurança".

A Bíblia nos diz:

Sl 34.13
“Então procurem não dizer coisas más e não contem mentiras.”

Sl 52:3
“Amas o mal antes que o bem; preferes mentir a falar retamente.”

Pv 14:5
“A testemunha verdadeira não mente, mas a falsa se desboca em mentiras.”

João 8:44
“Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.”

Ef 4:25
“Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros.”

1Pe 3.10
“Como dizem as Escrituras Sagradas: “Quem quiser gozar a vida e ter dias felizes não fale coisas más e não conte mentiras.”

Alguns bons costumes são necessários para se evitar fofoca, sem manter a ética e o bom ambiente onde se está. São eles:

· Fale diretamente, e não pelas costas. Aja com elas de maneira correta e justa.
“Pelo que celebremos a festa, não com o [fermento] velho, nem com o [fermento] da malícia e da corrupção, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” (1 Co 5:8)

· Não fale sobre seus problemas pessoais com aqueles indivíduos que, de antemão, você sabe, geram dúvida quanto à capacidade de ajudá-lo. É preferível chorar sozinho na privacidade de seu quarto a fazê-lo nos ombros da pessoa errada.
“Aquele que anda com os sábios será cada vez mais sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal” (Pv 13.20).

· Quando tiver dúvidas em relação a uma pessoa e seus atos, que o afetem direta ou indiretamente, confronte-a corajosamente, mas em particular. Fazê-lo em público significa expor-se e multiplicar as dúvidas existentes.
“Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão” (Mt 18.15).

· Embora seja uma tendência natural, muitas pessoas – sabemos – desejam expressar suas opiniões e versões publicamente. Quando se sentir tentado a fazê-lo, reflita e contenha o ímpeto de se expor desnecessariamente. Diz a sabedoria popular: “Em boca fechada, não entra mosquito”.

“O homem perverso provoca dissensão, e o que espalha boatos afasta bons amigos” (Pv 16.28).

· A mesma língua ferina, que critica e envenena as ações de outras pessoas, poderá voltar-se contra si mesmo e deixá-lo em apuros como crítico contumaz e insensato.
“O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos” (Pv 14.30).

· Quando se perceber tentado a dar ouvidos a fofoqueiros, mesmo que por brincadeira ou curiosidade, reaja. Lembre-se que a maledicência só serve para corromper os bons costumes.
“O Senhor detesta os pensamentos dos maus, mas se agrada de palavras ditas sem maldade” (Pv 15.26).

· Preocupe-se e ocupe-se com aquelas coisas que contribuem para o desenvolvimento do seu caráter, de sua carreira e de sua companhia. A fofoca, certamente, não tem esses atributos. “Mind your own business” (‘cuide do próprio negócio) – ensinavam os puritanos que fizeram a colonização norte-americana.
“Portanto, livrem-se de toda maldade e de todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência” (1 Pe 2:1).

“Mas, agora, abandonem todas estas coisas: ira, indignação, maldade, maledicência e linguagem indecente no falar” (Cl 3.8).

“O CALUNIADOR É UMA PESSOA QUE ESTÁ SEMPRE EM CONFLITO CONSIGO MESMO. QUEM ESTÁ DE BEM COM A VIDA NÃO TEM SEQUER VONTADE DE CALUNIAR, QUER APRECIAR AS COISAS BOAS DA VIDA.”

Para finalizar, gostaria de deixar um incentivo para que se pratique a verdade e se fuja da mentira. Estou promovendo a SEMANA DE COMBATE A FOFOCA. Nesta semana você deverá, de manhã logo cedo, ler o texto bíblico indicado e lutar com todas as suas forças para praticá-lo durante todo o dia.

SEMANA DE COMBATE À FOFOCA
SEGUNDA
Dedique à disciplina o seu coração, e os seus ouvidos às palavras que dão conhecimento.
Provérbios 23:12

TERÇA
Se alguém não tropeçar no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo.
Tiago 3:2b

QUARTA
A boca fala do que está cheio o coração. O homem bom do seu bom tesouro tira coisas boas e o homem mau do seu mau tesouro, tira coisas más.
Mateus 12:34-35

QUINTA
Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que concedam graça aos que a ouvem.
Efésios 4:29

SEXTA
Pois, quem quiser amar a vida e ver dias felizes, guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade.
1 Pedro 3:10

Robson Tavares Fernandes é bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional). É diretor e professor do CBA (Curso Básico de Apologética), e pesquisador da VINACC (Visão Nacional para a Consciência Cristã) e palestrante.