terça-feira, 24 de junho de 2008

Olimpíada motiva prática esportiva e pode incentivar esporte social e evangelístico

O Brasil leva a Pequim a maior delegação de sua história nas Olimpíadas: são 251 atletas que defendem as cores brasileiras na China. O ministro do Esporte, Orlando Silva, acredita que a participação da delegação nos Jogos Olímpicos deve estimular o esporte social. O interesse pela prática esportiva, especialmente em crianças e jovens, também é uma forma de aproximá-los do evangelho. Superação, esforço, disciplina e as relações com o outro e com a equipe são qualidades que o esporte desenvolve e podem ser enfatizadas em programas que utilizam prática esportiva como ferramenta de evangelismo e integração social.

"O que temos que fazer é investir mais em programas sociais esportivos, porque a conquista do esporte olímpico motiva a população”, afirmou o ministro, em entrevista a emissoras de rádio no estúdio da Empresa Brasil de Comunicação, em Brasília (DF). Ele defendeu que o governo deve apoiar simultaneamente os atletas de alto rendimento e o esporte como forma de inclusão social, com mais investimentos e melhor infra-estrutura.

O ministro também enfatizou que as conquistas em Pequim devem refletir em maior investimento no esporte brasileiro. "Esporte competitivo e esporte social são duas faces da mesma moeda. É importante o Brasil já ter a maior delegação olímpica da sua história, porque participará de mais finais, conquistará mais modalidades. Essa evolução nos resultados olímpicos reflete um investimento maior para o esporte brasileiro", reitera Orlando Silva.

Fonte: Revista Soma
Enviada pelo amigo: Lenildo Medeiros