domingo, 2 de março de 2008

SEXO NÃO FOI O PECADO DE ADÃO

Pr. Gomes Silva

Desde pequeno sempre ouvi os mais idosos afirmarem que o pecado de Adão foi ter comido a maçã que Eva lhe dera (não encontramos nenhuma referência bíblica afirmando que o fruto da macieira é sinônimo de pecado). Mais tarde surge a inditosa idéia de que o pecado original foi a prática do sexo. Ambas, muito longe da realidade.

Mais tarde, e já conhecendo um pouquinho da Palavra de Deus, lemos claramente na Bíblia que o pecado fora originado pela desobediência de Adão a Deus, pois este ouviu o Altíssimo lhe dizer: “De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn 1:16-17). Infelizmente, ele comeu do fruto em desobediência ao que lhe dissera o Senhor.

Hoje eu sei que dizer que sexo foi o pecado cometido por Adão é falta de conhecimento bíblico. Por que? Porque, como a gente pode conferir através da Palavra de Deus, o sexo não foi criado como sinônimo de pecado. O que ocorre é que muitas pessoas, influenciadas por uma incorreta interpretação da Bíblia, afirmam que o pecado original de Adão foi a prática do sexo. Isso não é verdade. Deus criou Adão e Eva, deu-lhes sexualidade e fez de ambos uma só carne e ainda disse que eles deveriam se multiplicar.

Apesar de muitos não gostarem, Deus criou o sexo para reprodução e prazer do ser humano. Ou seja, a finalidade do sexo é a reprodução. Contudo, a Bíblica também deixa claro em Provérbios 5:18-19 e Eclesiastes 9:9 que o sexo não é só para reprodução, mas também como fonte de prazer entre marido e esposa. No primeiro texto, o escritor de Provérbio apresenta uma visão saudável do sexo. Seu conselho é que as delícias do sexo, que é dádiva de Deus, sejam desfrutadas tão-somente no casamento (Bíblia Anotada). O segundo fala sobre o desfrutar da vida todos os dias com a mulher (homem) que ama.

Sexo praticado fora do contexto conjugal, onde deve ser a expressão de amor entre o casal, isto sim, é que é pecado. Porque os termos impureza, relações sexuais ilícitas, fornicação, imoralidade, prostituição e adultério são usados na Bíblia para referir-se a pecados de natureza sexual (Atos 15:29, 1 Tessalonicenses 4:7; 2 Pedro 2:14).

Para conturbar cada vez mais o ambiente familiar temos visto que a televisão e a internet têm sido fontes desagradáveis para “educar” crianças, adolescentes e jovens do nosso país. As novelas repassam conceitos imorais e libertinos relacionados à sexualidade, explorando cenas de nudez e de sexo, enquanto que a internet se transforma numa fonte também de pornografia o que tem despertado até crianças para a sexualidade contaminada pelo pecado.

Todavia, afirmo com muita convicção que o sexo tem suas vertentes, digamos assim, que fazem do homem um pecador. Por exemplo: abuso sexual de crianças, violência sexual, envolvimentos homossexuais, a infidelidade conjugal, que têm sido praticado em grandes proporções pela humanidade pervertida.

O sexo não foi a razão do pecado original. O pecado de Adão foi desobedecer a Deus da mesma forma como a humanidade, em sua maioria, está se comportando hoje e ultrajando o sexo, criado pelo próprio Deus para a felicidade do homem e da mulher no convívio conjugal.